Tempo
|
A+ / A-

"Vamos lutar até ao fim". Zelensky cita Churchill em discurso ao Parlamento britânico

08 mar, 2022 - 17:17 • Ricardo Vieira, com agências

Presidente ucraniano ovacionado pelos deputados britânicos. Volta a pedir apoio dos aliados Ocidentais e garante que a resistência à invasão russa vai continuar com determinação.

A+ / A-

Veja também:


O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, fez esta terça-feira uma intervenção por videochamada durante uma sessão do Parlamento britânico, em que citou um célebre primeiro-ministro e denunciou a morte de 50 crianças desde o início da guerra, há 13 dias.

Volodymyr Zelensky socorreu-se das palavras de Winston Churchill, primeiro-ministro britânico durante a II Guerra Mundial, para garantir que os ucranianos vão continuar a resistir à invasão russa.

"Vamos lutar pela nossa terra até ao fim, seja qual for o preço. Nós não vamos desistir, vamos lutar no mar, no ar, nas florestas, nos campos e nas ruas", declarou o Presidente ucraniano.

Zelensky voltou a apelar ao apoio dos aliados Ocidentais nesta declaração aos deputados britânicos.

"Não queremos perder aquilo que é nosso, o nosso país, a nossa Ucrânia", afirmou, perante uma ovação dos parlamentares.

O Presidente ucraniano voltou a pedir uma zona de exclusão aérea, para travar a incursão das tropas russas no seu país e defender a vida dos civis.

Neste discurso, Zelensky comparou o esforço da Ucrânia ao do Reino Unido, durante a II Guerra Mundial contra a Alemanha nazi de Adolf Hitler.

"Vocês não queriam perder o vosso país quando os nazis o queriam conquistar. E tiveram que lutar pela Grã-Bretanha", sublinhou.

Recorde o discurso histórico de Winston Churchill, na Câmara dos Comuns, a 4 de junho de 1940

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+