Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Embaixadora ucraniana em Lisboa pede sanções e apoio militar

24 fev, 2022 - 15:53 • Ricardo Vieira

"A Ucrânia não faz parte da NATO, mas se for ocupada pela Rússia eu pergunto: qual será o próximo país", adverte Inna Ohnivets.

A+ / A-

A embaixadora ucraniana em Lisboa, Inna Ohnivets, pede ajuda humanitária, sanções contra a Rússia e apoio militar para travar a invasão ordenada por Vladimir Putin.

"Ucrânia espera apoio da NATO e da União Europeia. Sanções por parte da União Europeia e apoio militar, se possível, por parte da NATO", declarou a diplomata após ser recebida pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

A Ucrânia não faz parte da NATO, mas se for ocupada pela Rússia eu pergunto: qual será o próximo país", adverte Inna Ohnivets.

A embaixadora considera que a "Ucrânia defende o seu território e toda a Europa".

"Pedimos ajuda a Portugal, pedimos assistência e armas", afirma a embaixadora da Ucrânia em Lisboa, Inna Ohnivets, que foi recebida pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Maria Oliveira
    24 fev, 2022 Lisboa 16:38
    É imperioso combater esta invasão. As sanções económicas não evitarão mais mortes e destruição. Hitler e a 2.ª Guerra mundial deveriam ter servido de lição. Muitos não acreditaram que Hitler chegaria tão longe. Putin é outro Hitler.

Destaques V+