Tempo
|
A+ / A-

Estão bem os cerca de 20 portugueses a viver no Cazaquistão

06 jan, 2022 - 11:37 • Lusa

Dezenas de pessoas, entre manifestantes e elementos das forças da ordem, foram mortas nos protestos dos últimos dias.

A+ / A-

Os cerca de 20 portugueses residentes no Cazaquistão encontram-se bem, incluindo oito a viver em Almaty, a cidade mais afetada pelos distúrbios recentes que provocaram vários mortos, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros.

“Felizmente, não há até ao momento nenhum reporte de qualquer problema de segurança que um cidadão ou cidadã portuguesa esteja a enfrentar”, confirmou Augusto Santos Silva.

Portugal tem uma representação diplomática em Nursultan, a capital do Cazaquistão, assegurada por um encarregado de negócios, que tem contactado diariamente, “várias vezes ao dia”, com os portugueses residentes no país da Ásia Central, disse o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros.

Dezenas de pessoas, entre manifestantes e elementos das forças da ordem, foram mortas nos protestos dos últimos dias no Cazaquistão, desencadeados por um aumento do preço dos combustíveis.

Hoje de manhã, as autoridades locais anunciaram na televisão pública que 12 elementos das forças de segurança foram mortos e 353 ficaram feridos durante os protestos.

Manifestantes exigem a demissão do Governo e a restruturação de vários serviços.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+