Tempo
|
A+ / A-

Canal da Mancha. Cinco pessoas detidas por suspeita de tráfico humano

25 nov, 2021 - 11:17 • Marta Grosso com BBC

Pelo menos 27 migrantes morreram ao fazer a travessia entre França e Reino Unido, uma das mais perigosas do mundo. Líderes dos dois países dizem-se apostados em travar os grupos criminosos de migração ilegal.

A+ / A-

Cinco pessoas foram detidas nesta quinta-feira, na sequência do naufrágio de um barco no Canal da Mancha, na quarta-feira, que matou, pelo menos, 27 migrantes. O anúncio foi feito pelo ministro francês do Interior.

Quatro dos suspeitos de tráfico de seres humanos foram presos no dia do naufrágio, anunciaram as autoridades.

Entre as vítimas mortais (cujo número foi corrigido nas últimas horas, de 31 para 27) estão cinco mulheres e uma menina, avançou ainda o ministro francês. Duas pessoas foram resgatadas e uma está desaparecida, acrescentou Gerald Darmanin.

“Os que organizaram aquele barco certamente viam estas pessoas que morreram ontem apenas como uma oportunidade de lucro”, lamentou.


Da parte do Reino Unido, o deputado Kevin Foster disse à BBC que o problema do tráfico de pessoas deve ser encarado pelos dois países e pela Europa em geral.

Ao programa BBC Breakfast, Foster classificou os traficantes de criminosos implacáveis, que lançam pessoas para as águas perigosas do canal em barcos frágeis e sem equipamento adequado.

O alarme para o naufrágio foi lançado por um barco de pesca, que avistou várias pessoas no mar na costa da França, na quarta-feira.

Segundo a Organização Internacional para as Migrações (OIM), esta foi a tragédia que mais mortes provocou desde que 2014 (quando se iniciaram os registos) no Canal da Mancha.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, já garantiu que não deixará “pedra sobre pedra” para travar a ação dos grupos criminosos de tráfico humano.

Após conversações entre os dois lados do Canal da Mancha, Londres prometeu pagar 62,7 milhões de euros a Paris durante 2021-22, para ajudar a aumentar o patrulhamento ao longo da costa, aumentar a vigilância aérea e melhorar a infraestrutura de segurança nos portos.

Este ano, o Canal da Mancha já foi atravessado por quase 4.000 pessoas, em mais de 300 pequenas embarcações, que se arriscam a atravessar uma das rotas marítimas mais perigosas e movimentadas do mundo.

Chegaram ao destino pelo menos 235 embarcações, um número recorde.

O número de tentativas é maior, mas alguns barcos – normalmente, pequenos botes superlotados – são intercetados pelas autoridades francesas antes de chegarem às águas britânicas.

Muitas vezes, estas pequenas “cascas de noz” levam bebés e crianças a bordo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+