Tempo
|
A+ / A-

Cuba

Dissidentes cubanos detidos antes de manifestação esta segunda-feira em Havana

15 nov, 2021 - 21:56 • Lusa

Nos últimos dias, muitos dissidentes, promotores da manifestação e jornalistas independentes disseram ter sido retidos em casa pelas forças de segurança.

A+ / A-

Vários dissidentes cubanos foram detidos esta segunda-feira, pouco antes de uma manifestação convocada pela oposição e que foi proibida pelas autoridades.

Manuel Cuesta Morua, vice-presidente do Conselho para a Transição Democrática, "foi preso pela Segurança do Estado pelas 13h00 (18h00 em Portugal), quando saía de casa" em Havana, declarou a sua mulher, Nairobi Scheri, citada pela agência noticiosa francesa AFP.

A dirigente do movimento Damas de Branco, Berta Soler, e o marido, o ex-preso político Angel Moya, também foram detidos, anunciou na rede social Twitter a dissidente Martha Beatriz Roque.

Outra figura da oposição cubana, Guillermo Fariñas, está detido desde sexta-feira.

Nos últimos dias, muitos dissidentes, promotores da manifestação e jornalistas independentes disseram ter sido retidos em casa pelas forças da ordem.

Vários deles relataram hoje terem sido alvo de atos de repúdio -- concentrações de moradores utilizadas há décadas para repreender os opositores - ou de cortes da internet.

Em Havana, ao longo do Malecon, a célebre avenida costeira, havia grupos de três polícias em todos os cruzamentos e agentes à paisana destacados nos parques e praças, constatou a AFP no local.

Apesar da proibição do protesto, o grupo de debate político Archipiélago, que funciona na rede social Facebook e tem 37.000 membros em Cuba e no estrangeiro, mantém o seu apelo para se manifestarem em Havana e em seis províncias a partir das 15h00 (20h00 em Lisboa), para exigir a libertação dos prisioneiros políticos.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+