Tempo
|
A+ / A-

EMA

Mais dois medicamentos recomendados contra a Covid-19

12 nov, 2021 - 06:56 • Lusa

O Ronapreve e Regkirona são os "primeiros medicamentos anticorpos monoclonais a receberem um parecer positivo".

A+ / A-

A Agência Europeia do Medicamento (EMA) recomendou a autorização de dois medicamentos para a Covid-19. Diz que se trata dos primeiros anticorpos monoclonais recomendados para autorização de comercialização.

Esta luz verde abrange o Ronapreve (casirivimab/imdevimab) e o Regkirona (regdanvimab), o primeiro da farmacêutica Roche, Suíça, e o segundo da Celltrion Healthcare, da Coreia do Sul.

Para o Ronapreve a EMA recomendou a autorização para o tratamento da Covid-19 em adultos e adolescentes (a partir dos 12 anos e com, pelo menos, 40 quilos), que não necessitem de oxigénio suplementar e que corram um risco acrescido de a sua doença se tornar grave.

O medicamento também pode ser utilizado para prevenir a doença em pessoas com mais de 12 anos.

Quanto ao Regkirona, a agência recomendou também autorizar o medicamento para o tratamento de adultos com Covid-19 que não necessitem de oxigénio suplementar e que estão igualmente em risco acrescido de a sua doença se tornar grave.

“Ronapreve e Regkirona são os primeiros medicamentos anticorpos monoclonais a receberem um parecer positivo” diz a Agência, explicando que os anticorpos monoclonais “são proteínas concebidas para se anexar a um alvo específico, neste caso a proteína spike da SRA-CoV-2, que o vírus utiliza para entrar em células humanas”.

A EMA diz ter avaliado dados de estudos que mostram que o tratamento com os dois medicamentos reduz significativamente as hospitalizações e as mortes em doentes com Covid-19.

Antes a Agência Europeia do Medicamento anunciou a disponibilidade ao uso de urgência do Molnupiravir, em forma de cápsula, que pode vir a ser tomado fora dos hospitais em doentes com mais de 18 anos. Este fármaco reduz para metade, o risco de morte e de internamento dos infetados, destinando-se a todas as pessoas que desenvolvam a doença, tenham ou não sido vacinadas.

Pfizer inicia testes no Brasil

Já a farmacêutica norte-americana Pfizer iniciou no Brasil estudos clínicos do Paxlovid, um fármaco experimental em formato de pílula destinado ao tratamento contra a Covid-19.

Resultados preliminares demonstraram que o medicamento em causa diminui em 89% o risco de hospitalização ou morte em adultos com risco de desenvolver a doença de forma grave e deve ser administrado logo após o aparecimento dos sintomas.

Segundo a Pfizer, o Paxlovid deve ser ingerido duas vezes ao dia, por cinco dias, a partir do terceiro dia do surgimento de sintomas de covid-19. O tratamento com o Paxlovid também requer a ingestão de outro remédio, o Ritonavir.

A pandemia provocou pelo menos 5.071.273 mortes em todo o mundo, entre mais de 251,37 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+