Tempo
|
A+ / A-

Clima

COP26. Governos anunciam parceria para acelerar "tecnologias limpas”

09 nov, 2021 - 01:25

Objetivo da "Mission Innovation” é acelerar o desenvolvimento de tecnologias para a captura de dióxido de carbono e a produção de combustíveis renováveis, que cobrem setores responsáveis por mais de 50% das emissões mundiais de gases com efeito de estufa.

A+ / A-

Um grupo de 23 governos vai anunciar esta terça-feira uma parceria para o desenvolvimento de “tecnologias limpas” para as cidades e indústria, anunciou o Executivo britânico, anfitrião da COP26.

O objetivo da "Mission Innovation”, refere um comunicado, é acelerar o desenvolvimento de tecnologias para a captura de dióxido de carbono e a produção de combustíveis renováveis, que cobrem setores responsáveis por mais de 50% das emissões mundiais de gases com efeito de estufa.

O anúncio coincide com o Dia da Ciência e Inovação na 26.ª conferência do clima das Nações Unidas (COP26), que decorre em Glasgow.

Durante o dia serão divulgadas outras iniciativas coletivas de países, empresas e cientistas, como a Adaptation Research Alliance (ARA), uma rede de mais de 90 organizações em 30 países que vai juntar governos, instituições de investigação e sociedade civil colaborarem para aumentar a resiliência de comunidades vulneráveis na linha de frente das alterações climáticas.

No âmbito da Iniciativa de Descarbonização Profunda Industrial (IDDI), o Reino Unido, Índia, Alemanha, Canadá e Emirados Árabes Unidos vão trabalhar juntos para criar novos mercados para aço e cimento produzidos com tecnologias de baixo carbono.

Decisores políticos e milhares de especialistas e ativistas reúnem-se até sexta-feira na COP26 para atualizar os contributos dos países para a redução das emissões de gases com efeito de estufa até 2030 e aumentar o financiamento para ajudar países afetados a enfrentar a crise climática.

A COP26 decorre seis anos após o Acordo de Paris, que estabeleceu como meta limitar o aumento da temperatura média global do planeta entre 1,5 e 2 graus celsius acima dos valores da época pré-industrial.

Apesar dos compromissos assumidos, as concentrações de gases com efeito de estufa atingiram níveis recorde em 2020, mesmo com a desaceleração económica provocada pela pandemia de covid-19, segundo a ONU, que estima que ao atual ritmo de emissões, as temperaturas serão no final do século superiores em 2,7 ºC.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+