Tempo
|
A+ / A-

Rússia

Putin apela ao reforço da defesa aeroespacial face ao avanço da NATO

01 nov, 2021 - 15:34 • Lusa

Putin assegurou que a segurança do país e a manutenção da “paridade estratégica” dependem da preparação e do apetrechamento da defesa aeroespacial do país.

A+ / A-

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, apelou esta segunda-feira ao reforço da defesa aeroespacial face ao avanço da NATO rumo às fronteiras do país e ao aumento da presença da frota aliada no Báltico e no Mar Negro.

“Devemos continuar a aperfeiçoar o sistema de defesa aeroespacial. Isso está diretamente relacionado com o desenvolvimento, pelas grandes potências, de sistemas ofensivos prometedores”, disse Putin durante uma reunião com altos funcionários do ministério da Defesa e da indústria militar, transmitida pela televisão publica.

Segundo a agência de notícias espanhola EFE, o presidente russo enfatizou que esta posição é a que a atual situação político-militar, incluindo a “crescente intensidade de voos da aviação da NATO perto da Rússia”, exige.

“E também a presença nas águas do Báltico e do Mar Negro de navios da Aliança [NATO - Organização do Tratado do Atlântico Norte] com mísseis guiados”, acrescentou.

Putin assegurou que a segurança do país e a manutenção da “paridade estratégica” dependem da preparação e do apetrechamento da defesa aeroespacial do país.

Por isso, a defesa aeroespacial deve ser capaz de detetar alvos hipersónicos e balísticos de todos os tipos “a grandes distâncias” para depois destruí-los “durante toda a trajetória de voo”, afirmou.

Na presença do ministro da Defesa, Sergei Shoigu, o presidente russo garantiu que Moscovo está ciente de que “alguns parceiros estrangeiros não param de tentar quebrar a paridade estratégica”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+