Tempo
|
A+ / A-

Canárias

La Palma regista sismo de 4.5, o maior desde o início da erupção do vulcão

14 out, 2021 - 09:18 • Lusa

Instituto Geográfico Nacional espanhol (IGN) confirma que a atividade sísmica aumentou nas últimas horas. A lava do vulcão de La Palma já ocupa 656 hectares.

A+ / A-

Um total de 60 sismos foram registados na ilha de La Palma (Canárias) desde as 00h00 desta quinta-feira, um deles de 4.5 graus, o maior sentido até agora desde que a erupção do vulcão começou, há 26 dias.

Segundo o Instituto Geográfico Nacional espanhol (IGN), a atividade sísmica aumentou nas últimas horas em La Palma, depois de na quarta-feira ter diminuído ligeiramente.

As autoridades ordenaram ao final no final de quinta-feira a evacuação de um novo bairro no município de Los Llanos de Aridane, na ilha de La Palma, devido ao avanço do último fluxo de lava gerado pela erupção do vulcão Cumbre Vieja. Segundo fonte do Governo regional das Canárias citada pela agência espanhola Efe, estima-se que esta nova evacuação afeta cerca de 15 residentes que vivem nesta zona.

Esta é a segunda evacuação causada em apenas 24 horas pelo avanço do novo deslizamento de terras que se formou nos últimos dias a norte do principal, depois de cerca de 800 residentes do bairro de La Laguna terem sido ordenados a abandonar as suas casas na terça-feira à tarde.

Os indicadores monitorizados por cientistas no vulcão de La Palma, especialmente as emissões de dióxido de enxofre, sugerem que o fim da erupção não vai acontecer a curto ou médio prazo, segundo a porta-voz do comité científico do Plano de Emergência Vulcânica das Ilhas Canárias (Pevolca).

Segundo as medições do sistema de satélites europeu Copernicus, a lava ocupa 656 hectares e já afetou 1.541 construções, das quais 1.458 foram destruídas.

Uma nuvem de dióxido de enxofre emitido pela erupção do vulcão Cumbre Vieja atingiu a Península Ibérica e deverá estar na atmosfera até sexta-feira, informou na quarta-feira o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Usando previsões do modelo do Serviço de Monitorização Atmosférica do programa de observação por satélite europeu Copernicus, a "intrusão de dióxido de enxofre" está acima dos 3.000 metros de altitude, "não afetando por isso as concentrações deste gás à superfície".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+