Tempo
|
A+ / A-

Covid-19

Alemanha vai deixar de pagar salários em quarentenas de não vacinados

22 set, 2021 - 16:57 • Redação

Para o ministro da Saúde trata-se de uma questão de justiça e de responsabilidade. Medida entra em vigor a 1 de novembro.

A+ / A-

Veja também:


O Governo federal da Alemanha anunciou que chegou a um acordo com as diferentes regiões do país para limitar o pagamento de salários a pessoas que são obrigadas a fazer quarentena por causa da Covid-19 mas que, por sua opção, não se encontram vacinadas.

O anúncio foi feito esta quarta-feira por Jens Spahn, ministro da Saúde. O governante fala numa questão de justiça.

“Às vezes ouvimos dizer que se trata de uma forma de pressionar os não-vacinados, mas visto de uma perspetiva diferente é apenas uma questão de justiça”, afirmou, em conferência de imprensa.

“Os que escolhem proteger-se a si mesmos e aos outros, vacinando-se, perguntam – e com razão – porque é que devem suportar o salário de alguém que passou férias numa zona de risco e que tem de fazer quarentena porque escolheu não ser vacinado”, acrescenta o ministro.

Jans Spahn não considera que a medida condiciona a liberdade dos alemães, antes vê como uma consequência dessa mesma liberdade.

“A decisão de vacinar ou não, que continua a ser livre, deve ser acompanhada da responsabilidade de arcar com as consequências financeiras”, explica.

Várias regiões na Alemanha já optaram por cortar os subsídios a não-vacinados que fazem quarentena, mas com esta decisão a norma passará a abranger todo o país, com entrada em vigor a partir do dia 1 de novembro.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+