Tempo
|
A+ / A-

Al-Qaeda divulga vídeo no aniversário dos ataques do 11 de setembro

11 set, 2021 - 20:59 • Lusa

O líder da Al-Qaeda pediu uma "guerra" na qual "o mundo inteiro é o campo de batalha", já que "exaurir um inimigo equipado com as armas mais recentes não requer enormes recursos".

A+ / A-

A Al-Qaeda divulgou este sábado um vídeo do seu líder, o egípcio Ayman al Zawahiri, no dia em que se lembra o vigésimo aniversário dos atentados de 11 de setembro, de que esta organização terrorista foi responsável.

A Al-Qaeda divulgou as imagens através do seu canal mediático, Sahab Media, intitulado "Jerusalém nunca será judaizada", onde Al Zawahiri aparece vestido com uma túnica e uma longa barba branca, falando mais de uma hora sobre uma ampla variedade de tópicos, em especial a causa palestina.

A organização terrorista divulgou o vídeo quando sobem de tom os rumores sobre a saúde precária ou mesmo a possível morte do seu líder, que, segundo relatórios do Conselho de Segurança da ONU, está "algures" entre o Afeganistão e o Paquistão.

No entanto, o vídeo não apresenta pormenores sobre a data da sua gravação, embora o próprio Zawahiri se refira à retirada das tropas americanas do Afeganistão.

"Hoje (os Estados Unidos) estão a sair do Afeganistão, destruídos e derrotados após vinte anos de guerra", diz Al Zawahiri no vídeo, olhando para a câmara.

O líder da Al-Qaeda também aproveitou para pedir uma "guerra" na qual "o mundo inteiro é o campo de batalha", já que "exaurir um inimigo equipado com as armas mais recentes não requer enormes recursos".

O vídeo também inclui trechos de textos que dizem que "a 'jihad' é um esforço vitalício no Afeganistão, na Palestina, nas Filipinas e onde quer que existam tiranos, déspotas e opressores".

Após a morte do fundador da Al-Qaeda, o saudita Osama bin Laden, assassinado numa operação em Abbotabad (Paquistão), Al Zawahiri assumiu o comando da organização, que está reduzida a uma rede com muitos ramos, mas sem uma liderança central, fragilizada pelas perdas sucessivas dos seus comandantes e pela alegada doença do egípcio.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+