Tempo
|
A+ / A-

Covid-19. Angola vai sortear eletrodomésticos para vacinados

07 set, 2021 - 07:18 • Lusa

Até agora só dois milhões foram vacinados, cerca de 2,9% da população. As autoridades querem evitar uma terceira vaga da doença no país africano e assegurar ao mesmo tempo a retoma da economia.

A+ / A-

O Governo angolano vai passar a sortear todos os meses um eletrodoméstico para atribuir a pessoas vacinadas. O objetivo é levar a população a aderir à imunização como forma de proteção contra a Covid-19.

A medida foi anunciada pelo ministro de Estado e chefe da Casa de Segurança do Presidente da República e surge depois de, no dia 31 de agosto, o executivo ter anunciado que será atribuído um automóvel, sorteado aleatoriamente, entre todos os cidadãos que se vacinem até 31 de dezembro.

Segundo Francisco Furtado, o executivo aprovou também, no dia 2 de setembro, a realização de um sorteio mensal de um eletrodoméstico, em cada uma das províncias, a partir de agira, abrangendo todos os cidadãos já vacinados.

Angola conta com cerca de dois milhões de vacinados, aproximadamente 2,9% da população, e adotou no início deste mês novas medidas que visam a retoma gradual da atividade económica, com destaque para o fim da cerca sanitária em Luanda e da quarentena obrigatória para viajantes, que se mantinham desde março do ano passado.

Tanto Francisco Furtado, como a ministra da Saúde, também presente na conferência de imprensa em Luanda, enfatizaram a necessidade de os cidadãos de vacinarem para se protegerem da Covid-19 e evitarem uma terceira vaga da doença no país africano, asseguram ao mesmo tempo a retoma da economia.

Sílvia Lutucuta lamentou que a adesão da população à vacinação esteja abaixo das metas, afirmando que os postos têm capacidade para vacinar 3.000 pessoas/dia e, em alguns casos, recebem menos de 1000.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+