Tempo
|
A+ / A-

Homem que matou Robert F. Kennedy pode sair em liberdade condicional

27 ago, 2021 - 23:45 • Redação

A decisão é uma vitória importante para Sirhan, porém não garante o fim do seu tempo na prisão.

A+ / A-

O homem que assassinou Robert F. Kennedy, em 1968, pode receber liberdade condicional, depois de uma decisão judicial, esta sexta-feira.

Com 77 anos, Sirhan Sirhan está preso há mais de cinco décadas, depois de ter morto a tir o senador e candidato presidencial norte-americano.

Douglas Kennedy, filho da vítima que, na altura do homicídio, era ainda bebé, disse que o remorso demonstrado por Sirhan deixou-o em lágrimas e defendeu a sua libertação, desde que não fosse uma ameaça para outros.

Sirhan Sirhan alega não se lembrar de ter cometido o assassinato. A sua advogada, Angela Berry, apelou a que o seu cliente fosse julgado pelo homem que é hoje.

Os procuradores de Los Angeles não se opuseram ao pedido de liberdade condicional.

A decisão é uma vitória importante para Sirhan, porém não garante o fim do seu tempo na prisão.

O processo vai ser analisado num prazo de 90 dias. Caso também receba resposta afirmativa nesta etapa, o pedido de liberdade condicional vai ser enviado ao governador de Los Angeles que terá 30 dias para aceitar, reverter ou alterar a decisão.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+