Siga-nos no Whatsapp
A+ / A-

Bielorrússia. Três jornalistas detidos em buscas a jornal independente

19 jul, 2021 - 23:51 • Lusa

"Com esta série de buscas e detenções, as autoridades transformaram a vida dos jornalistas independentes da Bielorrússia num inferno", afirmou um dos responsáveis da Associação de Jornalistas da Bielorrússia.

A+ / A-

As autoridades bielorrussas fizeram buscas num jornal independente em Maladzyechna e detiveram três jornalistas, denunciou a Associação de Jornalistas da Bielorrússia.

Segundo a associação, as buscas aconteceram na redação do Regionalnaya Gazeta, em Maladzyechna, a 80 quilómetros da capital, Minsk, e foram detidos o editor Alyaksandr Mantsevich e os jornalistas Zoya Khrutskaya e Nasta Utkina.

"Com esta série de buscas e detenções, as autoridades transformaram a vida dos jornalistas independentes da Bielorrússia num inferno", afirmou Andrei Bastunets, um dos responsáveis da associação, recordando que nos últimos dez dias foram detidos 32 jornalistas e feitas 64 buscas em meios de comunicação social.

A agência noticiosa Associated Press relata que esta segunda-feira também foram congeladas as contas bancárias da associação de escritores Pen Center, dirigida pela escritora Svetlana Alexievich, Nobel da Literatura 2015.

Um tribunal de Minsk também condenou esta segunda-feira 11 pessoas a penas de prisão entre os cinco e os nove anos, acusadas de organizarem "ações radicais" e de planearem um incêndio através de uma aplicação de mensagens.

Uma delas, um homem de 26 anos condenado a oito anos, disse em tribunal que, no processo de investigação, foi torturado e forçado a uma confissão.

Os resultados oficiais, reconduziram o Presidente Alexander Lukashenko para um sexto mandato, com 80% dos votos.

A oposição considerou o escrutínio fraudulento, tal como vários países ocidentais, e foi desencadeada uma vaga de contestação sem precedentes naquela antiga república soviética.

Recusando qualquer concessão, o chefe de Estado bielorrusso, no poder há quase 27 anos, prendeu ou forçou ao exílio a maioria dos seus opositores e denunciou manifestações conduzidas pelo Ocidente para o derrubar.

A repressão violenta do movimento de contestação causou vários mortos e várias centenas de pessoas foram detidas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+