Tempo
|
A+ / A-

Brexit

Portugueses no Reino Unido podem viajar e pedir residência com cartão de cidadão caducado

20 mai, 2021 - 01:50

O Governo português estendeu até 31 de dezembro a admissibilidade do cartão do cidadão devido às limitações de atendimento dos serviços públicos provocadas pela pandemia de Covid-19. Decisão não se aplica ao passaporte, cuja validade não foi estendida.

A+ / A-

Portugueses residentes no Reino Unido podem viajar para Portugal e candidatar-se ao estatuto de residentes pós ‘Brexit’ com o cartão do cidadão caducado, confirmou esta quarta-feira a secretária de Estado das Comunidades Portuguesas, Berta Nunes, em Londres.

“Sim, o cartão do cidadão é válido até ao final do ano. A informação é que não tem havido qualquer problema em viajar com esse cartão que, na verdade, não está caducado porque o Governo português decidiu prolongar a validade”, afirmou Berta Nunes à Lusa, durante uma visita à comunidade portuguesa.

A secretária de Estado disse que "as autoridades britânicas estão informadas e não consta que tenha havido algum problema até ao momento”.

O Governo português estendeu até 31 de dezembro a admissibilidade do cartão do cidadão devido às limitações de atendimento dos serviços públicos provocadas pela pandemia de covid-19.

Esta decisão não se aplica ao passaporte, cuja validade não foi estendida.

Desde a reabertura na segunda-feira pelo Governo britânico das viagens internacionais por motivos não essenciais e a inclusão de Portugal na ‘lista verde’, que isenta o cumprimento de quarentena no regresso ao Reino Unido, que muitos portugueses têm procurado informação sobre a possibilidade de viajar com documentos caducados.

A secretária de Estado reiterou também a informação de que o Governo britânico facilitou na semana passada o processo de candidatura ao sistema de registo de cidadãos da União Europeia [EU Settlement Scheme], passando a aceitar cartões de identidade caducados no processo digital.

Enquanto que antes era necessário pedir um formulário de papel para fazer a candidatura com um cartão do cidadão caducado, agora é possível fazê-lo pela Internet e depois enviar por correio o documento para certificação.

Nos dois casos, de viagem e da candidatura ao estatuto de residente, a secretária de Estado recomendou o uso da declaração disponível na página de Internet do consulado de Londres.

Esta medida foi tomada para aliviar a pressão dos consulados europeus afetados pelas restrições da pandemia de covid-19 e para permitir o máximo de candidaturas até ao prazo, 30 de junho.

A secretária de Estado das Comunidades Portuguesas cumpre esta quarta-feira o segundo de uma visita de três dias ao Reino Unido, que pretende essencialmente avaliar a situação dos emigrantes quanto ao estatuto de residente e contactar a comunidade, uma das mais afetadas pela pandemia de covid-19.

A governante visitou esta quarta-feira vários estabelecimentos comerciais e culturais no ‘Little Portugal’, no bairro de Stockwell, sul de Londres e reuniu-se com membros da comunidade portuguesa.

Deu ainda uma entrevista à rádio RTV Lusa, na qual incentivou para os emigrantes no Reino Unido aproveitarem o “corredor verde” e visitarem Portugal porque “são sempre bem-vindos”.

Deixou também uma "mensagem de esperança” em relação ao ‘Brexit’, pois foram ultrapassadas as angústias e incertezas do impacto do processo sobre a comunidade porque “houve um acordo”

"Só é preciso visto para quem vem de Portugal trabalhar. Se vier trabalhar, é preciso trazer um visto de residência e um contrato”, lembrou Berta Nunes, a propósito das novas regras de imigração do Reino Unido.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+