Tempo
|
A+ / A-

Espanha

Bebé entre as dezenas de crianças salvas do mar em Ceuta

19 mai, 2021 - 06:46 • Redação com agências

O pai e a criança estavam a afogar-se na praia de Tarajal, quando um membro da Guardia Civil se lançou ao mar para os salvar.

A+ / A-

Desde segunda-feira, cerca de 8.000 migrantes (incluindo 1.500 menores), um “número recorde”, segundo as autoridades espanholas, entraram ilegalmente em Ceuta, a nado, com recurso a embarcações insufláveis ou trepando as altas cercas fronteiriças que separam este enclave espanhol do território marroquino. Durante as operações de salvamento foi retirado das águas um bebé.

O pai e a criança estavam a afogar-se na praia de Tarajal, quando um membro da Guardia Civil se lançou ao mar para os salvar. A foto foi partilhada no Twitter.

Foram também mostradas mais duas crianças a serem levadas para segurança. “Os elementos da Guardia Civil salvam a vida de dezenas de menores que chegavam a Ceuta por mar com as suas famílias”, pode ler-se na legenda.

A Agência Europeia de Gestão da Cooperação Operacional nas Fronteiras Externas (Frontex) “está preparada para oferecer qualquer ajuda adicional que Espanha possa necessitar” na crise migratória em Ceuta, anunciou um porta-voz da agência.

O Governo espanhol mobilizou várias unidades do exército espanhol e de outras forças de segurança para Ceuta, de forma a controlar as ruas da cidade e a zona de fronteira.

Até agora, cerca de quatro mil migrantes já foram devolvidos a Marrocos.

O chefe do Governo espanhol, Pedro Sánchez, já veio dizer que a “prioridade é devolver a normalidade a Ceuta”.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Anónimo
    21 mai, 2021 Lisboa 20:04
    Ó "fora com eles", tu sabes a quem é que Espanha roubou Ceuta? Não passas de um anti-patriota que, se fosse vivo em 1640, teria sido defenestrado. Escumalha é o que tu és! Portugal teve e bem que dar a independência às suas colónias e devolver os territórios que tinha em Goa. Porque é que o Estado Espanhol pode ficar com uma cidade africana que roubou a Portugal?
  • Fora com eles
    19 mai, 2021 Rua daqui 09:07
    Marrocos não gostou que um dos principais opositores fosse tratado num Hospital Espanhol. Vai daí, resolveu abrir a fronteira para deixar passar a torrente de migrantes e criar problemas, mas tanto Marroquinos como migrantes ilegais esqueceram-se que do outro lado também há uma fronteira de um País soberano e um País que não se perde em reticências ao contrário de cá. Dos 6000 invasores - ninguém os convidou a entrar nem os chamou, logo isto é uma invasão e o resto é música - 4000 já foram devolvidos à procedência mesmo arrastados pelo chão, e é assim que deve ser - os que desembarcaram cá, deviam ser metidos no mesmo bote que trouxeram, nem que tivessem de ser bem atados, rebocados e largados em águas Marroquinas de onde partiram. Quanto aos corações de pomba que acham que devemos ter "a porta aberta" pergunto, quantos migrante ilegais estão dispostos a receber em suas casas?
  • Bruno
    19 mai, 2021 aqui 06:03
    Os pais desta criança deviam ser julgados pela sua irresponsabilidade.

Destaques V+