Tempo
|
A+ / A-

Covid-19

França prepara saída da crise sanitária a partir de 2 de junho

28 abr, 2021 - 20:25 • Lusa

Emmanuel Macron vai dirigir-se aos franceses na sexta-feira, para falar da próxima fase do combate à Covid.

A+ / A-

Veja também:


A partir de 2 de junho e até outubro, a França vai impor medidas de transição para sair da crise sanitária, anunciou esta quarta-feira o primeiro-ministro, Jean Castex, quando os números da pandemia de Covid-19 no país estão a descer.

"A nossa intenção, com a introdução de um regime transitório, é que isso nos vai permitir acompanhar melhor o processo de reabertura através de medidas adaptadas à evolução da situação sanitária, que pensamos que vai melhorar progressivamente", afirmou o primeiro-ministro após o Conselho de Ministros.

Para falar mais sobre a próxima fase da luta contra a Covid-19 em França, o Presidente Emmanuel Macro vai dirigir-se na sexta-feira aos franceses.

O primeiro-ministro afirmou ainda que há "uma tendência de declínio" dos números da pandemia no país, embora a taxa de circulação se mantenha alta.

O número de novas entradas nos serviços de cuidados intensivos mostra exatamente isso, com apenas 349 novas entradas nesses serviços nas últimas 24 horas. No total, há agora 29.911 hospitalizadas em França, menos 370 do que na véspera, e 5.879 desses pacientes estão nos cuidados intensivos.

Desde terça-feira morreram em França 315 pessoas devido à Covid-19, perfazendo assim um total de 103.918 óbitos desde o início da pandemia.

Nas últimas 24 horas foram registados 31.539 novos casos do vírus. Já foram detetados 5.565.852 casos de Covid-19 em França.

A pandemia de Covid-19 provocou, pelo menos, 3.137.725 mortos no mundo, resultantes de mais de 148,6 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+