Tempo
|
A+ / A-

Aplicações chinesas consideradas uma ameaça à privacidade no iPhone

16 mar, 2021 - 18:47 • Sandra Afonso

Apple prepara uma nova atualização do sistema operativo para travar apps que querem exibir anúncios direcionados.

A+ / A-

A Apple prepara uma nova atualização do sistema operativo iOS para as próximas semanas. É a resposta a várias aplicações chinesas, que procuram contornar a segurança da empresa para vigiarem os hábitos dos utilizadores através do iPhone.

Segundo avança o “Financial Times”, grandes tecnológicas chinesas, como a ByteDance (dona do TikTok) e a Tencent (proprietária do WeChat), querem exibir anúncios direcionados, tendo em conta os interesses manifestados pelos utilizadores, sem dependerem do consentimento prévio e explícito destes.

Esta é uma função opcional nos aparelhos na Apple, mas está ativa por definição. Um pormenor que os programadores chineses procuram transpor com tecnologia já em fase de testes.

O sistema foi desenvolvido pela Associação de Publicidade da China, que inclui grandes tecnológicas e tem também ligação ao Estado. As aplicações já estão no mercado.

Ao britânico “Financial Times”, fonte oficial da Apple garante que a empresa não irá ficar de braços cruzados e “as aplicações que não tenham em conta a escolha dos utilizadores serão rejeitadas”.

Apple monopolista?

A política de privacidade da Apple tem sido contestada por diversas empresas e é um dos argumentos que alimenta a “guerra” entre a multinacional e outro gigante, o Facebook.

A rede social acusa a Apple de práticas monopolistas, por travar o acesso de outras empresas.

Também o serviço de troca de mensagens e vídeos WhatsApp já veio criticar o gigante.

Segundo fonte da Apple, citada pelo FT, “os termos e regras da App Store aplicam-se de igual forma para todos os programadores à volta do mundo, incluindo para a própria Apple. Acreditamos firmemente que os utilizadores devem dar a sua permissão antes de serem vigiados”.

Uma posição que também não é bem vista pelas empresas publicitárias, que temem uma quebra das receitas.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+