Tempo
|
A+ / A-

Detidos e acusados dois homens por agressão a agente do Capitólio dos EUA

15 mar, 2021 - 19:56 • Redação

Julian Elie Khater e George Pierre Tanios não estão acusados da morte de Brian Sicknick, que morreu no dia seguinte à invasão.

A+ / A-

Dois homens foram detidos e constituídos arguidos da alegada agressão a um agente do Capitólio dos Estados Unidos da América, durante a invasão à sede do Congresso, a 6 de janeiro.

De acordo com o relatório do tribunal, as autoridades federais não acusaram os dois indivíduos da morte de Brian Sicknick.

Julian Elie Khater, de 32 anos, da Pensilvânia, e George Pierre Tanios, de 39, de West Virginia, foram detidos e formalmente de usarem um irritante em forma de spray durante a invasão ao Capitólio

As autoridades suspeitam que Sicknick, que morreu um dia depois da invasão, terá inalado spray irritante, do género que é usado para afugentar ursos, durante a insurreição na sede do Congresso dos EUA.

Vídeo do FBI incrimina acusados


O FBI tem um vídeo dos dois arguidos a "trabalhar juntos para agredirem agentes das autoridades com uma substância química desconhecida, ao borrifá-la diretamente no rosto e olhos dos agentes".

Também há vídeo de Khater a chegar à mala de Tanois e a dizer: "Dá-me a coisa dos ursos". Mais tarde, Khater é "visto a segurar numa lata branca com um topo preto que parece ser uma lata de spray químico".

O agente do FBI reportou que os acusados "também confrontaram e aterrorizaram membros do Congresso, do 'staff' e dos media".

"Transportavam armas, incluindo chaves de rodas, marretas, spray para ursos e 'tasers'", lê-se no relatório do FBI sobre o incidente.

Khanter também terá sido visto a "segurar numa lata com a sua mão direita e a apontá-la na direção dos agentes enquanto movia o braço para um lado e para o outro". Três agentes, incluindo Sicknick, terão sido atingidos pelo spray e tiveram de ir lavar os olhos.

Mais de 300 acusações pelo ataque

Na sequência do ataque ao Capitólio, já foram acusadas mais de 300 pessoas por todos os EUA. Algumas pessoas foram detidas por delitos menores, como entrar num espaço não autorizado. Vários foram detidos por obstrução de justiça e por tentativa de homicídio.

Apesar de Donald Trump ter sido ilibado das acusações que o apontavam como responsável direto pelo ataque ao Capitólio (o edifício onde se reúnem os dois órgãos legislativos do país, a Câmara dos Representantes e o Senado), a detenção de Federico Klein volta a colocar dúvidas quanto às ligações diretas entre o ex-Presidente e os presentes na invasão.

A insurreição do dia 6 de janeiro provocou cinco mortes (incluindo um polícia do Capitólio) e dezenas de feridos, além de estragos ao edifício. Donald Trump foi julgado no Senado pelo crime de “incitação à insurreição”, tendo sido ilibado pela minoria republicana.

Foi apenas a segunda vez na história que um Presidente americano foi alvo de um processo de "impeachment" duas vezes.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+