Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Moçambique: Militares portugueses podem iniciar missão em abril

12 fev, 2021 - 16:11 • Lusa

O objetivo será dar formação às tropas especiais de Moçambique para lidar com a crescente ameaça dos grupos radicais na zona de Cabo Delgado.

A+ / A-

Os militares portugueses que vão formar as tropas especiais de Moçambique pode estar a trabalhar no terreno já no mês de abril, disse esta sexta-feira o ministro da Defesa, João Gomes Cravinho.

"Há desenvolvimentos quotidianos. As Forças Armadas portuguesas e moçambicanas estão a trabalhar no desenho da parte que lhes toca para que, em breve - esperemos que durante o mês de abril -, possa começar no terreno o trabalho de formação", disse Gomes Cravinho.

O responsável da tutela respondia a perguntas dos jornalistas à margem de uma visita ao Comando Conjunto para as Operações Militares, em Oeiras, onde está instalado o grupo de apoio ao coordenador do grupo de trabalho ("task force") do Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19, Vice-Almirante Gouveia e Melo.

Gomes Cravinho vincou que se vai tratar de "uma missão de formação de comandos e de fuzileiros, portanto tropas especiais moçambicanas, para que as Forças Armadas e de Defesa de Moçambique tenham todas as características necessárias para o desempenho da soberania no seu próprio país".

A província moçambicana de Cabo Delgado (norte) está sob ataque desde outubro de 2017, por grupos de insurgentes ligados a organizações islâmicas radicais e classificados desde o início de 2020 pelas autoridades moçambicanas e internacionais como uma "ameaça terrorista".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+