Tempo
|
A+ / A-

Nunca os céus de Marte viram tanta atividade terrestre

10 fev, 2021 - 20:24 • Filipe d'Avillez

Uma sonda chinesa tornou-se a segunda a entrar em órbita no planeta vermelho no espaço de dois dias. Na próxima semana espera-se mais uma nave americana. Chineses querem estudar solo e procurar sinais de vida.

A+ / A-

Os céus de Marte estão a assistir a uma atividade sem precedentes numa semana em que a Terra e o planeta vermelho estão alinhadas.

Pelo menos três países aproveitaram o facto para colocar naves em órbita. Na terça-feira uma sonda dos Emirados Árabes Unidos conseguiu penetrar a atmosfera, com a missão de estudar a meteorologia e esta quarta-feira foi a vez de uma sonda chinesa, a Tianwen-1 entrar com sucesso em órbita para circundar Marte.

Finalmente, na próxima semana chega uma nave da NASA que transporta um veículo e um helicóptero para estudar melhor o planeta.

A missão chinesa, a primeira a chegar a Marte, pretende colocar um veículo na superfície do planeta em meados do ano, que terá por missão estudar os solos, procurar sinais de água ou de vida no terreno conhecido como Utopia Planitia, durante 90 dias.

Estes três aparelhos juntar-se-ão a outros seis que já estão em órbita, lançados pelas agências espaciais da Europa e da Índia e pela NASA.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+