Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Alexei Navalny condenado na Rússia

02 fev, 2021 - 17:56 • Filipe d'Avillez

O ativista anti-Putin, que regressou à Rússia apesar de ter sido vítima de uma tentativa de homicídio, foi condenado a três anos e meio de prisão, dos quais terá de cumprir dois anos e oito meses, por causa do tempo que passou em prisão domiciliária.

A+ / A-

Alexei Navalny foi condenado esta terça-feira a uma pena de prisão, alegadamente por ter violado os termos da pena a que já tinha sido condenado em 2014.

O ativista politico, que se tornou ao longo dos últimos anos um dos principais rostos do movimento anti-Putin, regressou recentemente à Rússia apesar de saber que corria o risco de ser condenado a uma pena efetiva, e mesmo depois de ter sobrevivido a uma tentativa de homicídio.

Navalny foi vítima de envenenamento com Novichok, um químico utilizado nos tempos soviéticos pela KGB. Culpa o regime por o tentar silenciar, mas Putin, sem nunca referir o seu nome, disse que se o regime o quisesse morto ele estaria morto.

Alexei Navalny esteve em estado crítico, mas sobreviveu graças aos esforços do hospital militar na Alemanha, para onde foi transferido para tratamento.

O ativista foi condenado a três anos e meio de cadeia, mas segundo os seus advogados apenas terá de cumprir dois anos e oito meses, por causa do tempo que já passou em prisão domiciliária.

Outros opositores de Putin já reagiram, com o profissional de xadrez, Garry Kasparov, a dizer no Twitter que "Navalny foi condenado a vários anos na cadeia, mas a minha fúria não se dirige apenas à ditadura KGB de Putin. A sua natureza era conhecida. Agora quero ouvir dos seus apaziguadores, que sabiam muito exatamente o que ele era e ajudaram-no durante anos a transformar a Rússia num estado policial".

Kasparov critica especificamente o Parlamento Europeu e o Conselho dos Direitos Humanos da ONU, de que a Rússia faz parte. "O que diz Obama agora sobre o seu 'reset' depois de Putin ter invadido a Geórgia preparando o terreno para a Síria e para a Ucrânia? O nome de Navalny devia ser como cinzas nas suas bocas."

"É difícil fazer frente a Putin, mas vai ser ainda mais difícil amahã", conclui Kasparov, sugerindo que o Presidente da Rússia devia ser sujeitado a sanções.

A jornalista russa Tatyana Felgenhauer comentou na mesma rede social que "Vladimir Putin condenou o seu principal opositor político a dois anos e oito meses na prisão por não o ter conseguido matar. Eis o Presidente da Federação Russa".

O processo de Navalny atraiu muitas atenções, na Rússia e fora. Durante o fim-de-semana mais de cinco mil pessoas foram detidas em diversas cidades da Rússia numa manifestação pela sua liberdade.

Navalny foi condenado num julgamento em 2014 por desvio de fundos, num processo que foi considerado politicamente motivado pelo Tribunal Europeu dos Direitos do Homem. A atual condenação deriva dessa primeira, tendo os serviços prisioniais da Rússia pedido ao tribunal para lhe aplicar a pena inicial que tinha ficado suspensa, por alegada quebra dos termos da sua liberdade condicional.

Esses termos obrigavam a apresentações periódicas às autoridades e Navalny é acusado de ter falhado uma delas. O período em que o ativista falhou a apresentação coincihde com o tempo em que esteve na Alemanha, em coma ou a convalescer da tentativa de assassinato de que foi alvo.

[Notícia corrigida às 18h41]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+