Tempo
|
A+ / A-

Pandemia de Covid-19

UE define intervalo de três semanas entre primeira e segunda toma da vacina Pfizer

28 jan, 2021 - 17:59 • Lusa

A atualização pela Agência Europeia do Medicamento substitui a indicação anterior, em que se definia que o intervalo entre tomas deveria ser de “pelo menos 21 dias”.

A+ / A-

Veja também:


A Agência Europeia do Medicamento recomendou esta quinta-feira três semanas de intervalo entre tomas da vacina da Pfizer/BioNTech para a Covid-19.

Na atualização de informações sobre a vacina, a EMA (na sigla em inglês) “recomenda a partir de agora a administração da segunda dose três semanas após a primeira”.

A atualização substitui a indicação anterior, em que se definia que o intervalo entre tomas deveria ser de “pelo menos 21 dias”, indica EMA, que quis “clarificar a posição” depois de ter reunido o seu comité para os medicamentos de uso humano.

A vacina contra a Covid-19 criada pela empresa farmacêutica norte-americana Pfizer e a alemã BioNTech foi a primeira a ter autorização de uso na União Europeia, emitida em 21 de dezembro passado.

A EMA lembra que os participantes nos ensaios clínicos cujos dados foram usados para avaliar a eficácia da vacina receberam a segunda dose “entre 19 e 42 dias depois da primeira” e que 93,1 por cento tiveram a segunda dose entre 19 e 23 dias após a primeira.

“Não existe atualmente nenhum dado clínico sobre a eficácia da vacina administrada fora dos intervalos utilizados nos ensaios clínicos”, salienta a agência.

O anúncio do regulador europeu surge quando há discussão sobre espaçar as tomas da vacina contra a Covid-19 até seis semanas, com os médicos a recearem que um intervalo tão alargado prejudique a eficácia do fármaco.

A pandemia de Covid-19 provocou, pelo menos, 2.176.000 mortos resultantes de mais de 100 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 11.608 pessoas dos 685.383 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    29 jan, 2021 Lisboa 13:54
    Três semanas são os 21 dias. Não há cá dilatação de prazo nenhum, só para vacinar mais gente com essas tomas, ou a arriscam a ter de revacinar gente que já levou a 1ª toma por ter ultrapassado o prazo devido. Ponto final na discussão. e nas invenções que para aí andam ...

Destaques V+