Tempo
|
A+ / A-

Austrália deverá manter fronteiras fechadas em 2021, mesmo com população vacinada

18 jan, 2021 - 08:21 • Lusa

A Austrália tem mantido as suas fronteiras internacionais fechadas desde março de 2020 e só permite a entrada dos seus residentes e cidadãos, alguns dos seus familiares mais próximos, diplomatas e outras exceções.

A+ / A-

Veja também:


A Austrália deverá manter as fronteiras fechadas durante a maior parte de 2021, mesmo que a maioria da sua população de 25 milhões de pessoas seja vacinada nos próximos meses, indicaram hoje fontes oficiais.

"Acredito que teremos restrições fronteiriças significativas durante a maior parte deste ano, mesmo que a maioria da população seja vacinada. Não sabemos se [a vacina] irá impedir a transmissão do vírus", disse o secretário do Ministério da Saúde, Brendan Murphy, à ABC News.

Cerca de 75% da população australiana, que iniciará o seu programa de vacinação Covid-19 em meados de fevereiro, pretende ser imunizada contra o coronavírus, de acordo com um inquérito realizado no mês passado pela empresa de consultoria Roy Morgan.

Entretanto, as autoridades australianas, que demonstraram a sua eficácia no rastreio de contactos, estão a tentar determinar a segurança das vacinas após a morte na Noruega de cerca de 30 pessoas idosas, que tinham problemas de saúde subjacentes, após terem recebido a vacina Pfizer.

A Austrália tem mantido as suas fronteiras internacionais fechadas desde março de 2020 e só permite a entrada dos seus residentes e cidadãos, alguns dos seus familiares mais próximos, diplomatas e outras exceções.

As autoridades australianas anunciaram este fim de semana que vão disponibilizar 20 voos 'charter' para repatriar alguns dos mais de 30 mil residentes e cidadãos australianos no estrangeiro, depois de a companhia aérea Emirates ter anunciado que iria suspender os voos para Melbourne, Sidney e Brisbane.

Qualquer pessoa que entre no país está sujeita a uma quarentena obrigatória de 14 dias, como é o caso dos tenistas que participam no Open da Austrália, agendado entre 08 e 21 de fevereiro.

Até à data, um total de 72 jogadores foram forçados a ficar confinados aos seus quartos de hotel em Melbourne. Todos os jogadores que viajaram para participar no Open da Austrália estão obrigados a fazer quarentena, embora possam treinar, sob supervisão, durante um máximo de cinco horas.

A Austrália não registou hoje quaisquer infeções locais de Covid-19.

A pandemia de Covid-19 provocou, pelo menos, 2.022.740 mortos resultantes de mais de 94,4 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Anónimo
    18 jan, 2021 Lisboa 16:06
    E fazem eles muito bem! Com a forma desastrosa como a maioria dos países, em especial os europeus, geriram a pandemia, só têm razão em fazer isso! Eu se fosse australiano também não queria europeus no meu país!

Destaques V+