Tempo
|
A+ / A-

Revista The Lancet

Estudo. Doentes apresentam sintomas Covid seis meses após alta hospitalar

09 jan, 2021 - 00:01 • Lusa

Fadiga e fraqueza muscular são os sintomas mais frequentemente reportados pelos doentes Covid-19 que tiveram alta do Hospital Jin Yin-tan, em Wuhan, na China.

A+ / A-

Veja também:


Um estudo realizado na China, divulgado esta sexta-feira, revela que a maioria dos doentes que estiveram infetados com a Covid-19 continuou a ter pelo menos um sintoma seis meses após a alta hospitalar, sendo a fadiga ou a fraqueza muscular o mais apontado.

O estudo, publicado na revista médica britânica The Lancet, inclui dados de 1.655 doentes Covid-19 que tiveram alta do Hospital Jin Yin-tan, em Wuhan, na China, onde foi detetada pela primeira vez a infeção, em dezembro de 2019, antes de se tornar uma pandemia.

Os doentes, que tinham em média 57 anos, tiveram acompanhamento após a alta hospitalar, que durou em média seis meses.

Para efeitos do estudo, responderam a um questionário de avaliação de sintomas e qualidade de vida, fizeram exames, testes laboratoriais e um exercício de caminhada de seis minutos.

Adicionalmente, foram feitos novos testes a 94 doentes cujos níveis de anticorpos no sangue tinham sido registados no auge da infeção para um estudo anterior.

De acordo com o estudo hoje publicado, 76,4% dos doentes manifestaram ter pelo menos um sintoma comum da Covid-19 passados seis meses sobre a alta hospitalar, com a fadiga ou a fraqueza muscular (62,7%) a ser o mais citado, seguindo-se a dificuldade em dormir (26,4%).

Os autores ressalvam que, pela análise dos dados, não foi possível determinar se os sintomas reportados pelos inquiridos foram persistentes após a infeção, pioraram depois da recuperação ou ocorreram após a alta hospitalar.

O estudo, que pretendeu aferir os efeitos a longo prazo da Covid-19, doença respiratória causada por um novo coronavírus, concluiu que os níveis de anticorpos neutralizadores caíram 52,5% ao fim de seis meses nos 94 doentes cuja resposta imunitária tinha sido testada no pico da infeção, "levantando preocupações sobre a possibilidade de serem reinfetados" pelo SARS-CoV-2.

Uma vez que o número de participantes com resultados de testes de anticorpos é limitado, terá de ser considerada uma amostra maior para esclarecer como os níveis de anticorpos neutralizadores do coronavírus da Covid-19 mudam com o decorrer do tempo, advertem os autores do artigo, citados em comunicado pela The Lancet.

Testes laboratoriais revelaram, ainda, que a função renal de 107 doentes, entre 822 escrutinados neste campo, piorou após a alta hospitalar.

Os rins são um dos órgãos afetados pela Covid-19.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+