Tempo
|
A+ / A-

Rapto

Escola secundária na Nigéria atacada por grupo armado, centenas de alunos desaparecidos

13 dez, 2020 - 16:54 • Redação com Lusa

Um grupo armado invadiu uma escola secundária em Katsina, Nigéria. Cerca de 400 estão estudantes desaparecidos.

A+ / A-
Cerca de 400 estudantes raptados de escola secundária na Nigéria
Cerca de 400 estudantes raptados de escola secundária na Nigéria

Centenas de estudantes nigerianos estão desaparecidos depois de homens armados terem atacado uma escola secundária no Estado de Katsina, no noroeste do país, confirmou a polícia este domingo.

A Escola Secundária de Ciências do Governo em Kankara foi atacada na sexta-feira à noite por um grupo de homens que dispararam com armas "AK-47", afirmou o porta-voz da polícia de Katsina, Gambo Isah, em comunicado.

A polícia envolveu-se em confrontos com os atacantes "num duelo de armas que deu [a alguns] alunos a oportunidade de escalar a cerca da escola e correr em busca de segurança", acrescentou Isah.

Cerca de 400 estudantes estão desaparecidos e 200 contabilizados, disse. Estima-se que a escola tenha mais de 600 alunos.

"A polícia, o exército e a força aérea nigeriana estão a trabalhar em conjunto com as autoridades escolares para determinar o número real de estudantes desaparecidos e/ou sequestrados", sublinhou.

"Grupos de buscas estão a trabalhar com objetivo de encontrar ou resgatar os estudantes desaparecidos", salientou o responsável.

Este é o último ataque a uma escola por homens armados na Nigéria.

O incidente mais grave aconteceu em abril de 2014, quando membros do grupo jiadista Boko Haram sequestrou 276 meninas do seu dormitório escolar em Chibok, no nordeste do Estado Borno. Cerca de 100 ainda estão desaparecidas.

Acredita-se que o último ataque tenha sido executado por um dos vários grupos de bandidos ativos no noroeste da Nigéria. Estes grupos são conhecidos por sequestrar pessoas para obter resgate.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+