Tempo
|
A+ / A-

Web Summit

Malala: "É importante ser otimista e garantir que encorajamos as raparigas a ter uma voz"

04 dez, 2020 - 20:33 • Redação

Para Malala, o tema do ensino, que lhe é particularmente querido, está interligado com outro dos grandes dilemas contemporâneos: as alterações climáticas.

A+ / A-

Malala Yousafzai, prémio Nobel da Paz, passou pela Web Summit no último dia do evento. A ativista paquistanesa veio para falar sobre alterações climáticas, mas antes fez questão de refletir sobre a pandemia.

"Este tem sido um ano difícil, estamos todos a apercebermo-nos, a aprender o que está errado nos sistemas em que vivemos. Todos sabemos que voltar ao velho normal não é suficiente. Temos que dar um passo em frente, temos que nos comprometer com um futuro conjunto melhor", disse.

Segundo Malala, o tema do ensino, que lhe é particularmente querido, está interligado com outro dos grandes dilemas contemporâneos: as alterações climáticas.

“O impacto das alterações climáticas aumenta as secas e inundações. Quando há inundações, as raparigas jovens, especialmente as crianças, perdem as suas casas e o acesso às escolas", explicou.

Quando há seca, “muitas pessoas têm de andar quilómetros para encontrar água. As alterações climáticas atingem as raparigas mais novas e a sua educação diretamente”, explicou ainda.

Ainda na mesma conversa, a ativista falou sobre os direitos das mulheres e contra o “patriarcado”. “Não faz sentido não ter esperança. É importante ser otimista e garantir que encorajamos as raparigas a ter uma voz. Não podemos ignorar o nosso papel no mundo, nas empresas, sociedade civil”, disse.

E atirou ainda: “A sociedade em que vivemos, a pressão nas mulheres é muito maior por causa do patriarcado. As mulheres devem ter orgulho nelas próprias.”

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+