Tempo
|
A+ / A-

Covid-19. Vacinas já começaram a ser transportadas para alguns países

28 nov, 2020 - 10:32 • Pedro Mesquita , Marta Grosso

Trata-se de uma estratégia para que estejam disponíveis em vários países logo que os reguladores derem a sua aprovação.

A+ / A-

Veja também:


A companhia aérea United Airlines já começou a operar voos fretados para transportar doses da vacina da Pfizer e da BioNTech contra a Covid-19. A notícia é avançada neste sábado pelo jornal norte-americano “Wall Stret Journal”.

O objetivo é garantir uma distribuição rápida das vacinas, logo que sejam aprovadas pelos reguladores.

Segundo o jornal, United Airlines Holdings Inc. – a terceira maior companhia aérea norte-americana – começou a operar estes voos charter na sexta-feira (já sábado em Lisboa) e pretende fazer voos entre Bruxelas e os Estados Unidos, os dois países onde a vacina está a ser produzida.

Os voos iniciais são um elo de uma cadeia de abastecimento global que está a ser montada para enfrentar o desafio logístico de distribuição das vacinas contra o novo coronavírus.

A Pfizer já começou a preparar uma reação rápida ao momento em que a Food and Drug Administration (FDA, o regulador norte-americano) e outros reguladores de todo o mundo aprovarem a vacina – algo que não se sabe quando irá acontecer.

Em debate está já quem irá receber primeiro a vacina. A Organização Mundial de Saúde (OMS) defende que os profissionais de saúde e os idosos devem ser prioritários.

Condições especiais

Como a vacina precisa ser transportada em fio, a Administração Federal de Aviação flexibilizou as regras sobre a quantidade de gelo seco permitida nos voos de transporte.

A United Airlines foi, assim, autorizada a embalar as vacinas em 15.000 libras de gelo seco por voo – cinco vezes a quantidade permitida pelas regras da FAA, refere o “Wall Stret Journal”.

O gelo seco (que é dióxido de carbono congelado) é um material perigoso, pelo que está sujeito a limitações.

"Como resultado do ritmo histórico de desenvolvimento da vacina por meio da Operação ‘Warp Speed’ (velocidade progressiva, em português) e do planeamento logístico cuidadoso, a FAA apoia a partir de hoje [sexta-feira] o primeiro embarque aéreo em massa de uma vacina", anunciou a agência em comunicado emitido na sexta-feira.

Na mesma nota, a FAA indica que foram “mitigados os riscos de segurança relacionados com o transporte seguro de vacinas” e garantidos “serviços de tráfego aéreo 24 horas por dia para manter a carga aérea em movimento e priorizando voos de transporte de carga, como vacinas, e pessoal essencial para a resposta do país aos e recuperação da Covid-19 ".

A norte-americana Pfizer e a parceira alemã BioNTech solicitaram uma autorização de emergência ao regulador norte-americano com vista a começar a distribuição da vacina e “saltar” passos no processo de aprovação.

O laboratório pretende começar a distribuir esta vacina, que tem 95% de eficácia, a partir de dezembro.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ivo Pestana
    28 nov, 2020 Funchal 11:53
    A minha deixo para os idosos. Obrigado

Destaques V+