Tempo
|
A+ / A-

Daca

Incêndio em mesquita no Bangladesh provoca 16 mortos

05 set, 2020 - 10:07 • Redação com Reuters e Lusa

Suspeita-se que a explosão dos aparelhos de ar condicionado e o incêndio terão sido provocados por uma fuga de gás.

A+ / A-

Quadro Regulamento de atribuição de incentivos - Programa de Apoio a Edifícios Mais Sustentáveis. Quadro: Fundo Ambiental, República PortuguesaMorreram pelo menos 16 pessoas e mais de 30 ficaram feridas num incêndio provocado pela explosão de aparelhos de ar condicionado numa mesquita no Bangladesh, disseram fontes oficiais, este sábado.

Os fiéis participavam na oração da noite de sexta-feira, o dia santo dos muçulmanos, quando a explosão causou uma bola de fogo na mesquita em Narayanganj, segundo os serviços de emergência.

Os investigadores suspeitam que uma faísca num aparelho de ar condicionado, após uma falha de energia e uma fuga de gás, causou a explosão.

Canais televisivos noticiaram que devido ao impacto da explosão, pelo menos seis aparelhos de ar condicionado explodiram dentro da mesquita.

“Houve uma fuga de gás na mesquita”, declarou à Agência France Press Abdallah Al-Arefin, chefe dos bombeiros de Narayanganj, na região da capital Daca.

“Quando fecharam as janelas e as portas e ligaram o ar condicionado houve uma faísca elétrica que causou a explosão no interior da mesquita”, adiantou.

Os 16 mortos fazem parte das 37 pessoas em estado crítico que foram admitidas num hospital especializado em queimados em Daca, segundo Samanta Lal Sen, porta-voz do estabelecimento de saúde.

Adiantou que todos tinham queimaduras em 70% a 80% do corpo.

De acordo com a polícia, pelo menos 45 pessoas ficaram feridas na explosão.

Os incêndios são frequentes no Bangladesh devido ao desrespeito pelas regras de segurança, causando centenas de mortes anualmente.

[notícia atualizada às 16h46]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+