Tempo
|
A+ / A-

Quem é Kamala Harris, a primeira mulher negra nomeada para a vice-presidência dos EUA?

13 ago, 2020 - 08:39 • André Rodrigues , Sofia Freitas Moreira

Joe Biden e Kamala Harris defrontarão Donald Trump e Mike Pence nas próximas eleições presidenciais, marcadas para 3 de novembro.

A+ / A-

"A América desespera por uma liderança”. É a frase que fica da primeira ação de campanha de Kamala Harris, lado a lado com Joe Biden, o candidato democrata às eleições dos Estados Unidos.

O candidato à Casa Branca apresentou, na quarta-feira, a sua parceira eleitoral, que considerou a “pessoa certa” para o ajudar a “reconstruir o país”, se vencerem as presidenciais, em novembro.

Logo após o anúncio da sua candidatura, a senadora entrou ao ataque, criticando severamente a administração Trump pela forma como está a gerir a pandemia.

Mas, afinal, quem é Kamala Harris?

É advogada, tem 55 anos e fez história por estes dias ao tornar-se a primeira mulher negra a ser nomeada para a vice-presidência dos Estados Unidos, cumprindo-se assim a promessa de Joe Biden, que tinha anunciado escolher uma mulher para o cargo.

Kamala Harris tem uma carreira de quase 30 anos como advogada e é conhecida pelo perfil assertivo e pelo discurso acutilante. Uma espécie de imagem de marca dos tempos em que foi procuradora-geral, em São Francisco, no estado da Califórnia.

É uma escolha que surpreende?

Pode-se dizer que sim, uma vez que Kamala Harris foi uma das mais aguerridas concorrentes de Joe Biden, nas primárias do partido democrata, tendo mesmo acusado o agora candidato presidencial de colaborar com partidos racistas - importa referir que Kamala Harris é filha de mãe indiana e pai jamaicano.

Foi em junho do ano passado, no segundo debate televisivo entre os candidatos às primárias democratas. Perante milhões de telespectadores, Kamala Harris convocou os fantasmas do passado de Joe Biden, acusando-o de ter colaborado, durante a década de 70, com senadores racistas do Partido Republicano, para impedir crianças como ela de chegarem mais longe nos estudos.

Na altura, esta troca de argumentos foi vista por muitos como um obstáculo à escolha para candidata a vice-presidente.

Quais os motivos por trás da escolha de Biden?

Esta acaba por ser uma escolha surpreendente, mas também uma escolha inteligente por parte de Joe Biden. Aliás, Kamala Harris é vista como uma comunicadora eficaz, exímia no debate e tem reconhecimento nacional.

Por outro lado, vários analistas entendem que a escolha da senadora da Califórnia é importante por motivos históricos e políticos, uma vez que as mulheres negras são um eleitorado leal ao Partido Democrata.

E vale a pena lembrar que Kamala Harris ganhou bastante protagonismo no início do verão, na sequência dos protestos que se seguiram ao homicídio de George Floyd.

Kamala preenche uma das principais exigências de Joe Biden, que quer ter ao seu lado alguém que se entenda com ele, tal como Biden se entendeu com Barack Obama quando foi seu vice-presidente, entre 2008 e 2017.

Apesar de Kamala Harris vestir mais a pele de ativista, do ponto de vista ideológico parece haver grande convergência com Joe Biden.

Aliás, assim que soube da nomeação para ser candidata a vice-presidente, Kamala Harris reagiu no Twitter, mostrando-se honrada com a escolha e referindo-se a Joe Biden como um futuro Presidente que vai pôr os Estados Unidos à altura dos seus ideais.

Há meses que a campanha de Biden é feita praticamente na internet devido à pandemia, mas depois dos discursos está previsto que a dupla participe numa recolha de fundos.

Joe Biden e Kamala Harris defrontarão Donald Trump e Mike Pence em 03 de novembro.

A nova equipa parte com vantagem: Biden, 77 anos, está à frente do republicano Trump, 74, na média das sondagens com uma margem confortável (+6,7 pontos percentuais em média, segundo o ‘site’ RealClearPolitics).

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ivo Pestana
    13 ago, 2020 17:44
    É uma linda mulher. Força e ponham esse empresário a andar.
  • João Lopes
    13 ago, 2020 11:24
    Os jornalistas da RR andam distraídos? Não sabem ou escondem que a candidata a vice-presidente tem sido uma "lutadora" a favor do aborto, e de outras causas fraturantes?
  • mew
    13 ago, 2020 10:34
    Ainda bem que vós persistis nas vossas páginas de humor. Bem hajam

Destaques V+