Tempo
|
A+ / A-

​Sismo não abala a entrevista da primeira-ministra da Nova Zelândia

25 mai, 2020 - 18:55 • Dina Soares

Ná há danos pessoais ou materiais. No entanto, o sismo que abanou a capital neozelandesa durante 30 segundos causou o pânico entre a população.

A+ / A-
Primeira-ministra da Nova Zelândia surpreendida por terramoto em direto
Primeira-ministra da Nova Zelândia surpreendida por terramoto em direto

Sismo não abala a entrevista da PM da Nova Zelândia

A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, foi surpreendida por um sismo, quando dava uma entrevista televisiva, em direto, a partir do Parlamento de Wellington, mas não se deixou perturbar. Quando sentiu as coisas a abanarem à sua volta, avisou o seu entrevistador e até brincou com a situação.

"Temos aqui um terramoto, Ryan, um abanão bastante decente", disse Jacinda Ardern ao pivot do canal de televisão Newshub, que transmitia a entrevista.

“Se vir coisas a abanarem atrás de mim é porque o prédio do Parlamento se mexe um pouco mais do que a maioria."

O sismo, de magnitude 5,6 na escala de Richter ocorreu pouco antes das 8h00 (21h00 de domingo, em Portugal), com o epicentro a cerca de uma centena de quilómetros a norte de Wellington, a capital da Nova Zelândia, e o hipocentro a uma profundidade de 52 quilómetros.

Horas depois, a primeira-ministra deu uma conferência de imprensa onde confirmou a inexistência de danos ou vítimas. No entanto, o sismo que abanou a cidade durante 30 segundos causou o pânico entre a população.

Jacinda Ardern foi eleita em 2017 e é muito popular no seu país, nomeadamente pela calma com que enfrenta as situações mais complicadas. Foi assim com o tiroteio de Christchurch, no ano passado, com a erupção vulcânica que ocorreu em dezembro e com a pandemia do novo coronavírus.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+