Tempo
|
A+ / A-

Covid-19. Ryanair regista redução de passageiros de 99.6% em abril

05 mai, 2020 - 08:14 • Reuters

Companhia low-cost transportou 40 mil passageiros durante o mês, comparado com os 13,5 milhões que tinha transportado no mesmo período em 2019.

A+ / A-

Veja também:


A Ryanair, companhia aérea low-cost, anunciou uma queda de 99.6% nos passageiros durante o mês de março, comparado com o período homólogo de 2019, devido à pandemia da Covid-19.

O setor aéreo foi um dos mais afetados pelo novo coronavírus, com muitas fronteiras a serem fechadas para viagens de lazer e comerciais, para além das medidas de contenção social que viram milhões de pessoas ficarem fechadas nas suas casas.

A Ryanair anunciou que transportou 40 mil passageiros em abril, comparado com os 13,5 milhões que tinha transportado no mesmo mês de 2019. A companhia de baixo custo irlandesa espera que os números se mantenham mínimos nos meses de maio e junho, apesar da retoma gradual da atividade.

A Wizz Air, outra companhia low-cost húngara, registou uma queda de 97.6%, tendo transportado cerca de 78 mil passageiros, uma queda em relação aos 3,3 milhões que transportou no mesmo mês do ano anterior. No entanto, a companhia espera uma melhoria neste mês, visto que será uma das primeiras empresas a retomar voos comerciais, com um voo de Londres para Viena, na Áustria, a 1 de maio.

A Covid-19 já infetou mais de 3,6 millhões de pessoas em todo o mundo, tendo morto mais de 250 mil.

Os Estados Unidos são o país mais afetado, com cerca de 1,2 milhões de infetados e quase 70 mil óbitos.

Em Portugal, de acordo com a atualização de segunda-feira da Direção-Geral da Saúde, Portugal contabiliza 25.524 infetados, 1.063 óbitos e 1.712 recuperados pela Covid-19.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+