Tempo
|
A+ / A-

Se vem de Itália não entra. Áustria endurece medidas contra coronavírus

10 mar, 2020 - 10:56 • Marta Grosso com Reuters

Hong Kong adota medida semelhante, colocando de quarentena todos visitantes que cheguem de Itália e partes de França, Alemanha e Japão.

A+ / A-

A Áustria decidiu banir a entrada a todos quantos cheguem ao país provenientes de Itália. A medida foi anunciada nesta terça-feira de manhã pelo chanceler austríaco.

Sebastian Kurz anunciou, em conferência de imprensa, algumas medidas com vista a retardar a propagação do novo coronavírus, entre as quais o cancelamento ou adiamento de palestras universitárias e o incentivo ao trabalho a partir de casa.

Estas medidas devem entrar em vigor, o mais tardar, na próxima segunda-feira, dia 16.

Na conferência de imprensa participou também o ministro austríaco da Administração Interna, Karl Nehammer, que anunciou a proibição de eventos internos com mais de 100 pessoas e eventos externos de mais de 500.

A Áustria não é o único país a limitar a entrada de pessoas vindas de zonas mais afetadas pelo surto de Covid-19.

Também nesta terça-feira, Hong Kong anunciou que irá colocar de quarentena todos os visitantes que cheguem de Itália e algumas partes de França, Japão e Alemanha.

A medida foi anunciada pelo consulado francês em Hong Kong e entrará em vigor às zero horas do dia 13 de março (próxima sexta-feira).

As zonas de França abrangidas são Bourgogne-Franche-Comté e Grand Est; na Alemanha, o norte do Reno-Vestefália; e no Japão, a zona de Hokkaido.

A epidemia de Covid-19 foi detetada em dezembro, na China, mas já se espalhou por mais de 100 países e territórios. No total, são já mais de 114 mil os infetados, mas 64 mil já recuperaram da doença. Pouco mais de quatro mil não resistiram.

Itália é o segundo país mais afetado fora da China, com 9.172 casos confirmados e mais de 450 mortes associadas. Cerca de 720 pessoas conseguiram recuperar. O país está nesta altura de quarentena.

Portugal regista 39 casos confirmados de infeção, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS), com 339 casos suspeitos, dos quais 67 aguardam resultados laboratoriais.

Na segunda-feira, o Governo apresentou o plano de contingência, que prevê o isolamento coercivo em caso de necessidade.

Vários espaços públicos decidiram encerrar portas , como medida de prevenção ou em resposta à identificação de um caso de infeção.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+