Tempo
|
A+ / A-

Reino Unido

Príncipe André abandona funções públicas após caso Epstein

20 nov, 2019 - 19:11 • Redação com agências

Monarca britânico, criticado pela sua amizade com um milionário condenado por pedofilia, disse que o escrutínio se tornou numa “grande perturbação” para o trabalho da família real e das obras de caridade associadas.

A+ / A-

O príncipe André, do reino Unido, vai abandonar as funções públicas a partir desta quarta-feira, na sequência da sua polémica amizade com Jeffrey Epstein, um milionário condenado por pedofilia que morreu na prisão, e de uma entrevista considerada desastrosa.

Num comunicado divulgado pelo Palácio de Buckingham, André declara que o escrutínio a que tem sido sujeito se tornou numa “grande perturbação” para o trabalho da família real e das obras de caridade associadas. “Por isso, perguntei a sua Majestade se podia retirar-me do serviço público no futuro próximo, e ela deu-me a sua permissão”, revela.

O terceiro filho da rainha Isabel II, que nega a ocorrência de um envolvimento com uma menor de idade, manifesta toda a disponibilidade para cooperar com as autoridades numa eventual investigação.

A notícia é conhecida horas depois de a empresa britânica de telecomunicações British Telecom (BT) e três universidades australianas anunciarem o corte de ligações com o príncipe André, fortemente criticado após ter dado uma entrevista no canal BBC sobre o caso Epstein.

Após a entrevista ao programa "Newsnight", da BBC, transmitida no último sábado, o filho da monarca de Inglaterra tem sido repreendido por não se ter distanciado do bilionário norte-americano Jeffrey Epstein, encontrado morto, em agosto, na cadeia onde estava detido enquanto aguardava julgamento sob acusações de tráfico sexual e abuso de menores.

André disse à BBC que nunca suspeitou do comportamento criminoso do bilionário norte-americano e contestou as acusações de uma mulher, alegadamente recrutada por Epstein, que afirma ter sido forçada a ter relações sexuais com o príncipe, quando tinha 17 anos.

A operadora BT anunciou que recusa continuar a apoiar um programa de financiamento de aprendizagem digital, o Inspiring Digital Enterprise Award (iDEA), caso o Duque de Iorque continue a ser o seu patrocinador.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+