A+ / A-

Brasil

Com Bolsonaro no poder, mortes causadas por agentes da polícia crescem 4,3%

14 out, 2019 - 20:24

No mesmo período, número de assassínios e mortes violentas recuaram 22%. Só no Rio de Janeiro a polícia foi responsável oficialmente por 885 mortes de janeiro a junho.

A+ / A-

Agentes da polícia no Brasil causaram a morte de pelo menos 2.886 pessoas nos primeiros seis meses deste ano, mais 4,3% que os 2.766 registados no mesmo período do ano passado, segundo um levantamento divulgado esta segunda-feira pelo portal de notícias G1.

O aumento das mortes causadas por membros da polícia contraria a tendência sobre a violência no país, que no mesmo período viu o número de assassínios e mortes violentas recuar 22%.

Segundo o G1, os estados do Rio de Janeiro, no sudeste, e do Pará, no norte do Brasil, puxaram os indicadores de letalidade causada pela polícia para cima, embora 13 outros estados do país tenham registado recuo destes casos.

No Rio de Janeiro, a polícia foi responsável oficialmente por 885 mortes de janeiro a junho, dado que indicou uma subida de 15,1% face ao mesmo período de 2018. No Pará, as mortes causadas pela polícia totalizaram 322 casos, mais 56,3% na mesma base de comparação.

Já o número de membros da polícia mortos neste ano recuou 42%. De janeiro a junho foram registados 108 assassínios de polícias contra 187 mortes no mesmo período de 2018.

O levantamento mapeou registos das secretarias de Segurança de todos os estados brasileiros, exceto Goiás, que não enviou nenhuma informação alegando que os dados são sigilosos.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Marcos B. Caetano da
    15 out, 2019 Socorro 13:22
    Tudo Bem, mas o governo do Rio de Janeiro pertence ao Sr. Wilson Witzel, assim acho no mínimo deselegante o uso desta manchete.

Destaques V+