Tempo
|
A+ / A-

Hungria

Partido de Orbán suspenso no Parlamento Europeu. "A minha política não mudará"

20 mar, 2019 - 17:56 • Redação

Governo do Fidesz é acusado de ter violado os princípios do Estado de Direito.

A+ / A-

O Partido do Governo húngaro, Fidesz, foi suspenso do Partido Popular Europeu esta quarta-feira.

A medida foi anunciada pelo presidente do PPE, Joseph Daul, e segue-se a vários apelos para que o primeiro-ministro Viktor Orban seja disciplinado por causa de alegadas violações aos princípios do Estado de Direito.

Segundo Daul, a suspensão implica a proibição de participar em reuniões do partido e o impedimento de votar ou de propor candidatos para cargos no grupo.

A votação por parte de delegados dos partidos que compõem o PPE, incluindo os portugueses PP e PSD, aconteceu depois de Orban ter rejeitado a proposta de se fazer uma avaliação à atuação do seu governo e às alegadas violações aos princípios do Estado de Direito. O primeiro-ministro disse que essa proposta era inaceitável.

Vários dos partidos do PPE tinham pedido mesmo a expulsão do Fidesz, mas o grupo acabou por aceitar uma proposta menos drástica, confirmando a suspensão.

Já durante a tarde desta quarta-feira, o primeiro-ministro Húngaro reagiu em Bruxelas à suspensão, garantindo que "não mudará" as suas políticas, nomeadamente as políticas anti-imigração, pois, explicou, "embora continuemos a ter um compromisso com os valores europeus, não queremos imigrantes -- e isso tem que ficar claro".

Viktor Orban é um líder de tendência nacionalista, que tem chocado com outros líderes europeus acerca de vários assuntos, incluindo a imigração. A Hungria está na fronteira da União Europeia e foi durante muito tempo uma rota preferida pelos imigrantes, mas o Governo tem feito tudo quanto pode para travar a sua entrada, defendendo publicamente uma política de imigração zero.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+