Tempo
|
A+ / A-

Venezuela. Governo português defende "legitimidade da assembleia" anti-Maduro

23 jan, 2019 - 22:21

Ministério dos Negócios Estrangeiros apela a que "não haja violência na Venezuela".

A+ / A-

O Governo português defende a legitimidade da Assembleia Nacional da Venezuela, cujo líder Juan Guaidó se autoproclamou Presidente interino do país.

"Apelamos a que não haja violência na Venezuela, que seja respeitada a legitimidade da Assembleia Nacional e que seja também respeitado o direito das pessoas a manifestarem-se pacificamente", afirma o Ministério dos Negócios Estrangeiros.

O presidente da Assembleia Nacional da Venezuela (Parlamento), Juan Guaidó, de 35 anos, autoproclamou-se esta quarta-feira Presidente interino do país.

O Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, fez uma declaração ao país: “Aqui ninguém se rende, aqui vamos até à vitória, lutar até vencer”.

Nicolás Maduro acusa o Governo norte-americano de Donald Trump de estar a patrocinar um "golpe de Estado" no país e rompeu as relações diplomáticas com os Estados Unidos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+