Tempo
|
A+ / A-

Holocausto. Nazis mataram 15 mil judeus por dia durante três meses

03 jan, 2019 - 08:18 • Redação

Novo estudo revela que 25% do total das vítimas do Holocausto foram assassinadas entre agosto e outubro de 1942, naqueles que terão sido provavelmente os três meses mais mortíferos da história da Humanidade.

A+ / A-

Entre agosto e outubro de 1942, cerca de 1,4 milhões de judeus morreram nos campos de concentração nazis. Foram, em média, 15 mil pessoas mortas por dia.

Os números constam de um novo estudo, liderado por Lewi Stone, numa parceria entre a Universidade de Telaviv e a universidade australiana RMIT. Os investigadores recorreram aos registos dos transportes ferroviários para chegarem a estas novas conclusões.

Segundo os dados agora revelados, 25% do total das vítimas do Holocausto foram assassinadas entre agosto e outubro de 1942, naqueles que terão sido provavelmente os três meses mais mortíferos da história da Humanidade.

Os chamados “comboios especiais” que transportavam os judeus cumpriam horários rigorosos e os alemães mantinham registos detalhados de cada viagem.

Foram feitas cerca de 480 ligações de comboio provenientes de 393 cidades polacas com destino a campos de concentração como Belzec, Sobibor e Treblinka. O propósito destes três campos era exclusivamente o assassinato em massa, ao contrário de outros campos, como Auschwitz, que também serviam para trabalhos forçados.

Em entrevista ao “Newsweek”, o autor do estudo diz acreditar que o ritmo de mortes poderia ter continuado, se ainda existissem mais judeus a viver na Polónia, que na época estava ocupada pelos alemães. Lewi Stone afirma que a taxa de homicídios diminuiu em novembro de 1942 porque “já não havia ninguém para matar”.

Segundo Stone, os números mostram que os nazis tinham “o objetivo de eliminar todos os judeus na Polónia no menor espaço de tempo possível”.

O estudo “Quantificar o Holocausto” foi publicado na quarta-feira na revista “Science Advances”

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ratik
    03 jan, 2019 lisboa 14:35
    Para não serem parciais deveriam estudar e por a nu o sovietismo,pal.pot etc.A subida dos conservadores nos mais poderosos países do planeta anda a endoidecer muita gente.
  • FERNANDO MACHADO
    03 jan, 2019 PORTO 11:28
    OS JUDEUS FORAM SEMPRE UM POVO PERSEGUIDO. QUANDO PERGUNTARAM A DAVID BEN GURION SE ERA VERDADE TEREM SIDO EXTERMINADOS TANTOS MILHÕES DE JUDEUS, ELE DISSE QUE NÃO. QUE NÃO ERA VERDADE. É CLARO QUE ESTE "ESTUDO" ACTUAL, É PUBLICITADO NUMA ALTURA EM QUE ISRAEL É ACUSADO ATÉ PELAS NAÇÕES UNIDAS INJUSTAMENTE. TENHO AMIGOS DE VERDADE, JUDEUS, QUE MUITO ESTIMO.
  • Manuel Lima
    03 jan, 2019 10:55
    Muito importante aceder à informação e estar a par do que acontece(u) no Mundo em notícias.
  • Leitor
    03 jan, 2019 Lisboa 10:49
    Primeiro vale a pena explicar aos leitores da RR que foram os soldados da III Reich Alema que fizeram isto. Os nazis eram alemaes. A Alemanha escolheu Hitler em 1933 em eleicoes livres. Hoje em dia os alemaes tentam dominar outros paises da UE com o seu poder economico.
  • Anónimo
    03 jan, 2019 09:49
    Por isso é que nunca podemos permitir o regresso da escumalha nazi. A escumalha de extrema-direita tem de ser combatida de todas as formas possíveis para o bem da humanidade.

Destaques V+