Tempo
|
A+ / A-

Presidente da República condena “bárbaro ataque” contra mesquita no Canadá

30 jan, 2017 - 13:22

O Governo português já repudiou o ataque, defendendo a luta contra “todas as formas de terrorismo” porque “todos os atentados são condenáveis”.

A+ / A-

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, condenou hoje o “bárbaro ataque” contra uma mesquita no Quebeque, Canadá, que causou seis mortos.

“Condeno veementemente este bárbaro ataque que vitimizou inocentes pertencentes a uma comunidade religiosa específica, num momento em que se encontravam num local de culto e de oração”, escreveu Marcelo Rebelo de Sousa na mensagem de condolências que enviou ao governador-geral do Canadá, David Johnston.

Na mensagem colocada no site da Presidência, o chefe de Estado português transmitiu ao governador, “em nome do povo português”, “toda a solidariedade para com o povo canadiano e para com as famílias das vítimas” e as “mais sentidas condolências e profundo pesar.”

Também o Governo português já repudiou o ataque, defendendo a luta contra “todas as formas de terrorismo” porque “todos os atentados são condenáveis”.

Seis pessoas morreram e outras oito ficaram feridas num ataque contra uma mesquita no Quebeque, perpetrado ao início da noite de domingo por dois homens encapuzados, que dispararam contra os fiéis. Dois suspeitos foram detidos após o ataque.

O primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, e o primeiro-ministro da província do Quebeque, Philippe Couillard, já condenaram o ataque, que classificaram como terrorista.

Justin Trudeau afirmou no domingo que o Canadá “vai receber” os refugiados rejeitados pelo Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Numa mensagem na rede social Twitter, Trudeau escreveu: “Para aqueles que fogem de perseguições, terrorismo e guerra, os canadianos vão receber-vos, independentemente da vossa fé. A diversidade é a nossa força #BemVindosaoCanadá”.

Depois de ser eleito, no final de 2015, o primeiro-ministro canadiano supervisionou a chegada de mais de 39 mil refugiados sírios.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+