Tempo
|
A+ / A-

Presidente das Filipinas diz que atirou pessoas de helicópteros. Depois nega

29 dez, 2016 - 21:59

Esta não é a primeira nem a segunda vez que Rodrigo Duterte é protagonista de declarações polémicas.

A+ / A-

O Presidente das Filipinas diz que, afinal, não atirou ninguém de um helicóptero como tinha revelado no início da semana.

“Não tínhamos helicóptero. Nós não usamos isso”, disse Rodrigo Duterte em entrevista à estação de televisão CNN.

Atribuiu o caso “à imaginação criativa desse Tulfo”. O chefe de Estado não esclareceu quem é “Tulfo”, mas podia estar a referir-se a um jornalista.

Rodrigo Duterte desmente as suas próprias declarações proferidas no início da semana, quando em directo na televisão contou já ter atirado uma pessoa abaixo de um helicóptero e que podia voltar a fazer o mesmo a quem utilizar mal os dinheiros públicos.

“Quem utilizar fundos públicos para corrupção, eu vou apanhá-lo, dar-lhe uma boleia de helicóptero e atirá-lo quando estivemos no ar. Eu vou fazer isso. Já fiz isso no passado e posso voltar a fazê-lo”, avisou o Presidente das Filipinas.

Esta não é a primeira nem a segunda vez que Duterte é protagonista de declarações polémicas. Ainda este mês admitiu ter executado alegados criminosos na altura em que era presidente da câmara de Davao. Mais tarde desmentiu os acontecimentos.

O Presidente das Filipinas também já proferiu palavras ofensivas em relação ao Papa Francisco e ao Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

Durante duas décadas Duterte foi autarca de Davao, no sul das Filipinas, onde ganhou a reputação ter mão pesada contra o crime e de, alegadamente, apoiar esquadrões da morte. O Presidente nega ter dado apoio a estes grupos que actuam à margem da lei.

Desde que Duterte tomou posse, a 1 de Julho deste ano, mais de duas mil pessoas morreram em operações contra o tráfico de droga. Outras três mil pessoas foram assassinadas por grupos de vigilantes.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • tugatento
    30 dez, 2016 Ãmarante 14:34
    E é este anormal presidente de um País.
  • JR
    30 dez, 2016 LIsboa, Puto 13:45
    Pode ser tudo. Agora há uma coisa que ele não é. Hipócrita. Há os que fazem e não assumem e assobiam para o lado.
  • Almocreve
    30 dez, 2016 Lisboa 13:24
    Este homem não é nada bom da cornadura...!!!
  • José Fernandes
    30 dez, 2016 Ubatuba 13:18
    São tremendas estas declarações, horrivel mesmo, como é possivel semelhantes declarações, mas pensando bem, com os politicos que temos e não só que cometem todos os dias actos bárbaros que destrõem vidas, familias inteiras com sua ganancia sem qualquer compaixão com tanta leviandade, é como se estivessem a empurrar do tal helicóptero essas mesmas pessoas, que me perdoem os mais sensiveis mas essa gente merece isso e muito mais, é minha opinião.
  • Djuzé
    30 dez, 2016 Sintra 00:34
    Esse indivíduo tem o mesmo perfil que o outro de Angola que foi morto em combate; cá por mim está tão agarrado como os outros que ele quer matar...

Destaques V+