Tempo
|
A+ / A-

​Tragédia da Chapecoense. Controladora aérea foge para o Brasil

06 dez, 2016 - 22:37

Autoridades bolivianas acusam Célia Castedo de 'incumprimento de deveres e atentado contra a segurança de voo”.

A+ / A-

A funcionária de tráfego aéreo, que terá sido a responsável por autorizar a descolagem do avião da equipa de futebol Chapecoense, que se despenhou na Colômbia, fugiu para o Brasil.

Célia Castedo pediu asilo à Polícia Federal e ao Ministério Público do Brasil, avança a estação de televisão Globo.

A controladora aérea é acusada de 'incumprimento de deveres e atentado contra a segurança de voo”, por ter autorizado o avião a levantar da Bolívia sem combustível necessário para toda a rota, até Medellín, na Colômbia.

Segundo a imprensa brasileira, Celia Castedo está escondida desde a passada segunda-feira em Corumbá, a cidade onde morava.

O Governo boliviano exige às autoridades brasileiras o repatriamento da controladora aérea, para ser questionada sobre a sua intervenção na tragédia.

A queda do avião da companhia LaMia, por falta de combustível, provocou a morte a 71 pessoas, entre as quais a equipa de futebol brasileira da Chapecoense, que ia disputar a final da Copa Sul-Americana.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+