Tempo
|
A+ / A-

Explosão em Manhattan. Trump reage antes de todos e Hillary pede cautela

18 set, 2016 - 14:25

Uma bomba explodiu ontem à noite em Nova Iorque, deixando pelo menos 29 pessoas feridas, uma das quais em estado grave. Um segundo engenho explosivo foi depois encontrado e desactivado.

A+ / A-
Explosão em Manhattan. Trump reage antes de todos e Hillary pede cautela
Explosão em Manhattan. Trump reage antes de todos e Hillary pede cautela

Veja também:


O candidato presidencial Donald Trump promete endurecer e tornar mais eficaz a vigilância no país. O empresário falava no sábado à noite aos seus apoiantes de Colorado Springs e reagia assim às notícias da explosão de uma bomba em Manhattan.

Trump foi o primeiro a falar. Ainda as autoridades não tinham confirmado o incidente, já o multimilionário dava conta aos jornalistas de que “uma bomba explodiu” em Nova Iorque.

“Pouco antes de sair do avião, uma bomba explodiu em Nova Iorque e ainda ninguém sabe o que se passa”, anunciou. “Temos de ser muito duros. É uma coisa terrível o que está a acontecer ao nosso mundo. Temos de ser duros, inteligentes e estar vigilantes”, decretou.

A explosão ocorreu perto das 20h30 (1h30 em Lisboa) no bairro de Chelsea, na rua 23, entre a 6ª e a 7ª avenida.

Mais cautelosa foi a reacção de Hillary Clinton. “Fui informada sobre umas explosões em Nova Iorque e Nova Jérsia, bem como sobre um ataque no Minnesota. É importante que conheçamos bem os factos. Penso que é sempre mais sensato esperar até ter toda a informação do que avançar com conclusões precipitadas”, afirmou a candidata democrata aos jornalistas, no avião de campanha que a transportava de Washington para Nova Iorque.

“Obviamente, temos de fazer tudo para apoiar as equipas no local e rezar pelas vítimas. Tenho estado em contacto com o presidente da Câmara de Nova Iorque e várias autoridades para saber mais sobre a investigação que estão em curso e terei mais para dizer sobre o assunto quando reunir mais factos”, acrescentou.

Em silêncio tem-se mantido Barack Obama. Segundo a Casa Branca, o Presidente norte-americano tem-se mantido informado sobre os acontecimentos, mas ainda não quis reagir.

A explosão na rua 23 fez 29 feridos, um dos quais em estado grave. Pouco tempo mais tarde, na rua 27, também entre a 6ª e a 7ª avenida, foi encontrado um segundo engenho explosivo, de fabrico artesanal (a partir de uma panela de pressão), que as autoridades desactivaram.

O incidente foi classificado como um “acto intencional” e um crime, mas sem indícios de terrorismo.

Nova Iorque tem 8,4 milhões de habitantes e está sob medidas especiais de segurança, na sequência da Assembleia Geral das Nações Unidas, que recebe na terça-feira a cimeira sobre refugiados e migrantes. O Presidente da República português falará nesse dia, pela primeira vez, naquele órgão da ONU.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Otário cá da quinta
    18 set, 2016 Coimbra 17:09
    Fui militar na guerra do ultramar. Lutei contra o TERRORISMO e já lá vão mais de 50 anos. Hoje, a ideia que faço de uma " GUERRA " de TERROR, é que não há armas que cheguem para aniquilar os ditos TERRORISTAS. Não precisam de ser muitos para provocarem muitos danos e não deixar em descanso as populações, pois a qualquer momento podemos ter a nosso lado um bombista. Não sou BRUXO nem PROFECTA, mas jamais vão acabar com este TERRORISMO, porque os próprios GOVERNANTES dos países deste MUNDO deram a liberdade, UNS POR INTERESSES ECONÓMICOS, OUTROS POR IGNORÂNCIA, à livre circulação de POVOS com ideais extremistas, como se tem verificado. Podem arrasar cidades, matar lideres, mas esta " GUERRA" não vai ter fim, porque morre um , há logo outro líder.
  • moi memme
    18 set, 2016 ichi 16:25
    É óbvio que se ele foi o primeiro a reagir ele foi o responsável pelo ataque. Caso tivesse sido o último a reagir o seu silêncio comprometedor era igualmente indicativo da sua responsabilidade. Actualmente autoridades independentes investigam a responsabilidade de trump na criação dos hologramas das torres gémeas.

Destaques V+