Tempo
|
A+ / A-

Obama cancela encontro com Presidente das Filipinas após insulto

06 set, 2016 - 00:34

O populista Rodrigo Duterte, que está na origem de uma onda de execuções extrajudiciais no país, referiu-se em termos impróprios ao seu homólogo norte-americano.

A+ / A-

Veja também:


O Presidente norte-americano, Barack Obama, não gostou de ser insultado e cancelou aquele que seria o seu primeiro encontro com o novo chefe de Estado das Filipinas, Rodrigo Duterte, anunciou a Casa Branca.

A decisão foi conhecida depois de Rodrigo Duterte se ter referido a Obama como um “filho da p***” durante uma conferência de imprensa realizada esta segunda-feira.

Os líderes dos Estados Unidos e das Filipinas tinham um encontro marcado para terça-feira, no Laos, à margem de uma cimeira anual.

Rodrigo Duterte chegou ao poder em Maio deste ano e declarou uma guerra sem quartel às drogas e ao crime.

Nos últimos meses as Filipinas têm assistido a uma onda de execuções extrajudiciais. Cerca de dois mil alegados traficantes de droga foram mortos por milícias encorajadas pelo novo Presidente.

Em declarações esta segunda-feira aos jornalistas, Rodrigo Duterte disse que seria “rude” da parte de Obama se no encontro entre os dois o Presidente norte-americano falasse sobre a violação de direitos humanos nas Filipinas.

Se o tema fosse abordado o polémico Presidente filipino garantiu que iria insultar Obama.

“Muitos ainda vão ser mortos até que o último traficante desapareça das ruas. Até que o último fabricante de drogas seja morto, nós vamos continuar”, declarou Rodrigo Duterte, que também já insultou o Papa Francisco e o embaixador norte-americano, Philip Goldberg.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Mário Guimarães
    06 set, 2016 Lisboa 10:49
    Até que enfim que alguém chama os velhacos amaricões pelo nome ! Para que é necessária a visita de um velhaco bem falante? Desde o 25 de Abril pago por amaricães e sovietes que em Portugal há droga por todo o lado . Nos Açores financia tudo paga os melhores advogados e vende-se na porta das escolas e das igrejas . Mota Amaral fez inclusivamente passar uma lei na Assembleia a permitir os drogados de fazerem jardinagem em casa .Um seu familiar gostava da jardinagem então faça-se uma lei que os portugueses estão distraídos com o "fitubol" e a religião. Desde aí e até agora é o máximo ! Só apanham os passadores e os agentes são mandados em diligências para Lisboa quando é preciso.
  • asilva
    06 set, 2016 adelaide 07:25
    Aqui esta o ponto mais baixo que a America , como pais, chegou depois de estar sobre o control destes "nice guys" desta "pussy generation" agora em control do Oeste... inacreditavel alguma vez alguem pensou que um Presidente dum Pais como as Filipinas pudesse chegar ao ponto de chamar ao Presidente dos EUA "son of bich" !!!!???? esta geracao e sem duvida uma geracao de "perdidos"....como "eles" ja dizem nao se sabe quando ou como este "mundo" ira sair desta crise criada por esta "pussy generation"... coitados dos meus netos !!!!
  • carlos
    06 set, 2016 Fátima 01:10
    Penso o seguinte, de overdose e mortes por disputas no trafico tem muitas baixas, morte por morte o que ele esta fazendo e dar outra direção para as mortes, também da para considerar isso que ele faz é um experimento , assim como o Uruguai fez seu experimento liberando a maconha, verdade é que ninguém tem a solução ideal para problema, porque não deixar cada um cuidando do seu quintal e ver no que da, quem sabe desses experimentos não sai melhores soluções! Acho horrível improdutivo isso de que todo mundo tem que seguir um padrão no modo de agir!

Destaques V+