Tempo
|
A+ / A-

Rui Machete

Crimeia. Anexação foi "maior violação do direito internacional da Europa desde II Guerra Mundial"

07 mai, 2015 - 21:01

Rui Machete fez estas declarações durante visita ao Brasil.

A+ / A-

O ministro português dos Negócios Estrangeiros diz que a crise ucraniana constitui um "conflito congelado" difícil de resolver, porque "Putin recordou ao mundo que a Rússia é um império e que ele é um czar".

A anexação da Crimeia foi a "maior violação do direito internacional da Europa desde a II Guerra Mundial", afirmou o ministro português, numa palestra na Universidade Fundação Armando Álvares Penteado, em São Paulo, perante alunos de economia e relações internacionais, que assinalou o fim da sua visita de quatro dias ao Brasil.

"Estou mais optimista em relação à [recuperação económica] Europa" do que em relação ao "conflito congelado" que existe na Ucrânia, que "limita muito a acção da União Europeia fazer ao resto do mundo", afirmou Rui Machete.

No seu entender, a leste, não há um risco de uma nova Guerra Fria porque "não há uma questão ideológica" mas sim "questões nacionais", que são "mais difíceis de resolver".

Já a sul, a Europa apresenta vários problemas relacionados com o "terrorismo `jihadista`". No caso da Líbia "não há um Estado falhado, não há é simplesmente Estado", exemplificou Rui Machete que, sobre Portugal, insistiu que o país está num processo de recuperação, semelhante à Irlanda, Espanha ou Itália.

Num discurso informal perante os alunos, Machete também se mostrou confiante na superação das dificuldades na Grécia, agora que "parece que [os governantes gregos] ganharam juízo" nas negociações com a União Europeia.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+