Tempo
|
A+ / A-

Preços da alimentação na OCDE com máximos desde 1974

06 dez, 2022 - 14:14 • Sandra Afonso

Preços alimentares continuam a aumentar. Inflação atingiu, em outubro, 10,7%.

A+ / A-

É preciso recuar 48 anos para encontrar os níveis de inflação de hoje nos produtos alimentares, no conjunto dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE). Em outubro, atingiu 16,1%, mais oito décimas do que em setembro.

Os países com os maiores aumentos homólogos são a Turquia (99%), Hungria (42,9%), Lituânia (33,7%), Letónia (29,5%) e Estónia (28%) e Colômbia (27%).

Em termos globais, a inflação na OCDE fixou-se nos 10,7% em outubro, mais duas décimas do que em setembro.

Nos países da zona euro o aumento é de 15,5%. Espanha está próximo deste valor, com 15,4%, Portugal ficou com 10,6% (a estimativa rápida do INE aponta já para uma descida para 10,3% em novembro).

Contas feitas, 18 países da OCDE fecharam outubro com uma inflação homóloga de dois dígitos.

Abaixo da média ficam países fora da Europa (como Japão, Coreia do Sul, Austrália, México e Estados Unidos), menos afetados pela crise energética provocada pela invasão da Ucrânia, assim como França (6,2%), Luxemburgo (6,9%) e Suíça (3%).

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+