Tempo
|
A+ / A-

Docapesca

Preço médio do pescado em lota sobe quase 15% em 2022

05 nov, 2022 - 09:55 • Lusa

Valor é avançado pela Docapesca, uma empresa do setor empresarial do Estado, tutelada pelo Ministério da Agricultura e Alimentação.

A+ / A-

O preço médio o pescado transacionado nas lotas e postos de Portugal Continental, sob gestão da Docapesca, registou um aumento de 14,9% em outubro, em comparação com o período homólogo.

Em comunicado, a Docapesca - Portos e Lotas, S.A. refere que "este aumento foi transversal aos diferentes segmentos da frota de pesca nacional, tendo maior expressão nas embarcações do arrasto (mais 18,5%), mas também nas embarcações polivalentes (mais 15,7%) e nas embarcações do cerco (mais 14,9%)".

A Docapesca, que é uma empresa do setor empresarial do Estado, tutelada pelo Ministério da Agricultura e Alimentação, revelou que entre as espécies mais abundantes, o carapau registou um acréscimo do preço médio de 4% face a 2021.

"Contudo, desde 2017, o preço médio desta espécie, objeto de campanhas de valorização e promoção desenvolvidas pela Docapesca, já aumentou 61%", lê-se no comunicado que sublinha que o "rendimento dos pescadores supera valores de 2021".

Ainda segundo dados da empresa, o valor global do pescado transacionado em lota atingiu os 211,6 milhões de euros, representando um aumento de 1,2% face a 2021, "ano em que se registou o máximo histórico de vendas".

Em sentido contrário, a quantidade transacionada registou uma diminuição de 11,9%, atingindo as 86,3 mil toneladas.

A Docapesca tem a seu cargo no continente português, o serviço público da prestação de serviços de Primeira Venda de Pescado, bem como o apoio ao Setor da Pesca e respetivos portos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+