Tempo
|
A+ / A-

​Mais de 15 mil pessoas pediram reavaliação da casa para tentar reduzir IMI

23 set, 2022 - 10:06 • Cristina Nascimento

O Imposto Municipal sobre Imóveis é calculado em função do Valor Patrimonial Tributário que é atualizado automaticamente de três em três anos, mas, consoante os casos, pode ser mais vantajoso para os proprietários pedirem uma reavaliação da propriedade.

A+ / A-

Em sete meses, mais de 15 mil proprietários apresentaram junto das Finanças um pedido para reavaliação da casa para tentar baixar o valor do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI). A notícia é avançada pelo jornal online “Eco”.

Segundo o jornal, que cita dados enviados pela Autoridade Tributária, “até 1 de agosto, tinham sido apresentados 15.626 pedidos de reavaliação de prédios urbanos com o motivo ‘Valor Patrimonial Tributário desatualizado’”.

O jornal explica que o IMI é calculado em função do Valor Patrimonial Tributário que, por s ua vez, é atualizado automaticamente de três em três anos, mas, consoante os casos, pode ser mais vantajoso para os proprietários pedirem uma reavaliação da propriedade.

Precisamente porque o Valor Patrimonial Tributário leva em linha de conta diversas variáveis, a Deco, associação de defesa do consumidor, aconselha os proprietários a fazerem sempre uma simulação , antes de fazerem o pedido de reavaliação.

O pedido de nova avaliação é gratuito e é feito através do Modelo 1 do IMI, que pode ser submetido pelo Portal das Finanças (onde existe um simulador) ou entregue numa repartição de Finanças.

Os proprietários de imóveis têm sido confrontados com o aumento do custo da habitação, por via da subida das taxas Euribor, que influenciam as mensalidades dos créditos à habitação. No início desta semana estas taxas atingiram o valor mais alto em mais de 10 anos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+