Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Relações comerciais entre Portugal e Angola em números

23 ago, 2022 - 06:41 • Lusa

Em tempo de eleições gerais angolanas, o quinto escrutínio da história política do país, é possível fazer um balanço das relações económicas entre os dois países.

A+ / A-

As exportações portuguesas de bens e serviços para Angola têm vindo a diminuir, mas o país que vai dia 24 a votos continuou no ano passado no top 10 da venda de bens portugueses ao exterior.

De acordo com os dados cedidos pela Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) à Lusa - com base em informação do Instituto Nacional de Estatística, Banco de Portugal e do International Trade Centre - as trocas comerciais portuguesas de bens com Angola perderam algum gás nos últimos anos, mas em 2021 voltaram a subir face a 2020, ano marcado pela pandemia.

Por outro lado, Angola perdeu terreno em 2021 no 'ranking' dos países fornecedores de bens para Portugal, mas as importações aumentaram a uma média anual de 26,4% entre 2021 e 2027.


Exportações de bens

As exportações portuguesas de bens para Angola ascenderam a 951,6 milhões de euros em 2021, acima dos 870 milhões de euros registados em 2020, revertendo a tendência de decréscimo registada desde 2017.

As exportações portuguesas para Angola caíram a uma taxa média anual de 13,5% entre 2017 e 2021.

Apesar de ter subido no 'ranking' dos clientes de Portugal, passando da oitava posição em 2017 para a nona posição a partir de 2019, a quota de mercado diminuiu de 3,25% em 2017 para 1,62% em 2020 e 1,5% em 2021.

Principais produtos portugueses exportados

Entre os principais bens portugueses exportados em 2021 contam-se as máquinas e aparelhos (29,1% do total), os químicos (11,9% do total) e os produtos agrícolas (11,3% do total).

Também os produtos alimentares (9,2% do total) e os metais comuns (9,1% do total) integram a lista dos principais produtos exportados.

As peles e couros foram os produtos com o maior crescimento registado entre 2020 e 2021, representando 0,2% do total no ano passado.

Importações de bens

As importações portuguesas de Angola cresceram a uma média anual de 26,4% entre 2021 e 2017.

Contudo, no ano passado cifraram-se bastante abaixo dos 278,9 milhões de euros registados em 2017 e dos 389 milhões de euros em 2020, ao atingirem 80,6 milhões de euros.

Os dados cedidos pela AICEP colocam Angola como o 56.º fornecedor de Portugal em 2021, com uma quota de 0,10% do total, quando em 2020 figurava no 25.º lugar, em 2019 (com uma quota de 1,34%) no 11.º lugar e em 2017 no 33.º (com uma quota de 0,4%).

Principais produtos importados:

Entre os principais bens provenientes de Angola em 2021 destaque para os combustíveis minerais (67,4% do total), os produtos agrícolas (15,3% do total), os produtos alimentares (8,0% do total), a madeira e a cortiça (2,6% do total) e os minerais e minérios (2,0% do total).

O maior crescimento registado entre 2020 e 2021 foram os produtos alimentares, com um disparo de 723,5%.

Balança comercial de bens

O saldo da balança comercial de bens tem sido positivo para Portugal, tendo atingido os 871 milhões de euros, quando em 2020 registou 480,9 milhões de euros e em 2017 ascendeu a 1.507 milhões de euros.

Contributo de Angola para o comércio internacional de Portugal

O contributo de Angola para o crescimento das exportações globais de Portugal foi de 0,15 pontos percentuais (pp.) em 2021, o que compara com os -0,62 pp. registados em 2020 e 0,57 em 2021.

Por outro lado, a contribuição para o crescimento das importações globais de Portugal foi de -0,45 pp. em 2021 e de -0,86 quer em 2020, quer em 2017.

Exportadoras para Angola

O número de empresas exportadores para Angola tem vindo a diminuir. Se em 2017 era de 5.850, em 2018 caiu para 5.532, em 2019 para 5.150, em 2020 para 4.351 e em 2021 para 4.225.

Posição de Portugal como cliente de Angola

Portugal ocupava o 27.º lugar enquanto cliente das exportações angolanas, com uma quota de 0,24%, segundo os dados da AICEP.

Esta posição compara com o 10.º lugar registado em 2020 (com uma quota de 1,33%), o 5.º lugar em 2019 (quota de 3,19%) e o 15.º lugar em 2017 (quota de 0,96%).

Posição de Portugal como fornecedor de Angola

Portugal manteve-se como o segundo fornecedor de bens de Angola, em 2021, posição de recuperou em 2020, depois de em 2019 ter cedido para o terceiro lugar e de em 2017 ter ocupado o primeiro lugar do 'ranking'.

No ano passado, a quota de mercado de Portugal das importações Angola foi de 12,10%, sendo de 13,94% em 2020, de 12,86% em 2019 e de 16,57% em 2017.

Exportações de serviços

As exportações de serviços de Portugal com Angola diminuíram a uma taxa média anual de 15,6%, atingido 574 milhões de euros em 2021, ligeiramente abaixo dos 577 milhões de euros de 2020 e dos 852,9 milhões de euros de 2019.

Em 2017, aquelas exportações ascendiam a 1.171,6 milhões de euros.

Deste modo, Angola registou uma quota de 2,12% das exportações globais de serviços de Portugal, quando em 2017 era de 3,80% em 2020 de 2,59%.

Tipos de serviços portugueses exportados:

Entre os principais serviços exportados em 2021 destaque para as viagens e turismo (27,7% do total), outros serviços fornecidos por empresas (26,3% do total), telecomunicações, informáticos e informação (18,9% do total), transportes (13,1% do total) e diretos de utilização de propriedade intelectual (3,2% do total).

Importações de serviços

As importações de serviços de Angola com Portugal caíram a uma taxa média anual de 12,4%.

A trajetória descendente levou a que se em 2017 se cifraram em 158 milhões de euros, em 2019 tenham caído para 187,7 milhões de euros, em 2020 para 118,5 milhões de euros e em 2021 para 80,9 milhões de euros.

Angola registou, assim, uma quota de 0,46% das importações portuguesas de serviços em 2021, quando em 2017 era de 1,08% e em 2020 de 0,87%.

Tipos de serviços provenientes de Angola:

Entre os principais serviços importados em 2021 destaque para os transportes (34,7% do total), as viagens e turismo (32,2% do total), outros serviços fornecidos por empresas (19,4% do total), telecomunicações, informáticos e informação (4,3% do total), construção (3,3%) e financeiros (2,2% do total).

Balança comercial de Portugal com Angola

As exportações de bens e serviços para Portugal cifraram-se em 1.526,7 milhões de euros em 2021 e as importações em 150,7 milhões de euros.

O saldo da balança comercial foi positivo para Portugal, com um excedente de 1.376 milhões de euros.

Receitas de turismo angolano em Portugal disparam

As receitas do turismo angolano em Portugal mais do que duplicaram entre janeiro e maio deste ano face ao mesmo período do ano passado, atingido 118,2 milhões de euros, segundo dados cedidos pela AICEP.

De acordo com a informação enviada pela Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), com base em dados do Banco de Portugal (BdP), as receitas do turismo proveniente de Angola em Portugal cresceram 122,5% entre janeiro e maio deste ano, face aos 53,1 milhões de euros registados nos primeiros cinco meses de 2021.

Ainda assim, se entre janeiro e maio de 2021 representaram 3,10% do total do valor de exportação de serviços registado na rubrica viagens e turismo da balança de pagamentos portuguesa, no período homólogo deste ano representaram 1,96%.

Segundo os mesmos dados, as receitas do turismo de Angola em Portugal registaram uma quebra acentuada durante a pandemia, mas a trajetória descendente já se fazia sentir.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+