Tempo
|
A+ / A-

TAP avisa que problemas "não deverão melhorar nas próximas semanas"

04 jul, 2022 - 16:13

Após um fim de semana com vários cancelamentos, a presidente executiva da TAP admite que a companhia aérea não está "a oferecer o serviço de excelência planeado".

A+ / A-

A presidente executiva (CEO) da TAP, Christine Ourmières-Widener, reconhece que a companhia aérea não "está a oferecer o serviço de excelência" que planeou, depois de um fim de semana com vários cancelamentos.

Numa mensagem hoje publicada, dirigida aos clientes, a gestora deu conta das dificuldades sentidas pela transportadora nos últimos tempos, avisando que os constrangimentos irão manter-se, mas que fará "melhor para voltar a proporcionar" qualidade, pontualidade e confiança.

"Neste momento, reconhecemos que não estamos a oferecer o serviço de excelência que planeámos e que queremos que experiencie connosco, face à crise que o transporte aéreo atravessa e que, de acordo com as previsões mais recentes, não deverá melhorar nas próximas semanas, fruto do aumento regular das viagens de lazer e de negócios", escreveu a CEO, apresentando as "mais sinceras desculpas" da companhia aérea.

"Os últimos dois anos foram muito difíceis para todos nós, sobretudo para o setor da aviação comercial, extremamente penalizado devido à pandemia", indicou, garantindo que "todos os colaboradores da TAP Air Portugal têm trabalhado resiliente e consistentemente na reconstrução da companhia e em ganhar novamente" a confiança dos passageiros.

"Este fim de semana não foi fácil para a TAP devido a constrangimentos vários", lamentou, acrescentando que "só com o empenho e esforço das equipas, tanto de terra como do ar, foi possível prestar o melhor serviço possível aos nossos passageiros, levá-los ao destino e normalizar a operação".

"Não há nada que todos queiramos mais do que levar Portugal ao mundo e trazer o mundo a Portugal já este verão. Esta é a nossa razão de existir e é para cumprir esse objetivo que todos temos trabalhado nos últimos meses", realçou Christine Ourmières-Widener.

A CEO ressalvou, no entanto, que "ainda que as restrições à mobilidade de passageiros tenham sido levantadas na sua maioria, o transporte aéreo, bem como a respetiva estrutura e serviços complementares, enfrenta uma séria limitação de recursos a nível global, num momento em que as operações de voo passaram praticamente do zero para cerca de 90% dos níveis pré-pandemia".

"Garantimos que a TAP e todas as nossas equipas estão empenhadas, neste momento, em minimizar ao máximo todo e qualquer inconveniente que possa surgir durante a sua jornada connosco, esperando contar com um transporte aéreo mais robusto, funcional e articulado no verão de 2023", disse a CEO.

"Agradecemos, como sempre, a sua fidelidade e esperamos contar também com a sua compreensão, caso a sua viagem não tenha ido ainda ao encontro das suas expectativas. Estamos a fazer o nosso melhor para voltar a proporcionar-lhe a qualidade, a pontualidade e a confiança que merece e que certamente terá da TAP Air Portugal, o mais rapidamente possível", rematou a CEO da transportadora.

Este fim de semana, a companhia cancelou vários voos tendo em conta os constrangimentos que estão a afetar a operação um pouco por todo o mundo, dada a recuperação rápida do tráfego depois de uma paralisação quase total devido à pandemia.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • a souza souza
    05 jul, 2022 alverca 09:24
    O sr PNS o tal menino que brinca aos aviões e aos aeroportos, escolheu esta senhora e afinal escolheu mal - incompetência ! Os comboios param por o material rolante estar velho e obsoleto, os aviões por incompetência ...lá vamos cantando e rindo!
  • Ivo Pestana
    04 jul, 2022 Funchal 18:00
    Estão a dar cabo das pessoas e do turismo. Para quem possa, autocarro ou comboio.

Destaques V+