Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Centeno desaconselha aumentos salariais

20 jun, 2022 - 11:50 • Redação com Lusa

O governador do Banco de Portugal diz que o risco de crise financeira “não pode ser retirado da mesa”.

A+ / A-

O governador do Banco de Portugal desaconselha aumentos salariais. Mário Centeno afirma que o risco de a atual crise económica se transformar numa crise financeira não pode ser descartado e sublinhou que o papel do BCE é garantir medidas para a acautelar.

Do ponto de vista de um banco central, temos de garantir que esta crise económica que se desenha no horizonte – que é uma ameaça – não se transforme numa crise financeira. Esses riscos não podem ser retirados da mesa, porque nós temos sempre de ter medidas para os acautelar”, afirmou Mário Centeno, durante a conferência CNN Portugal Summit, na Culturgest, em Lisboa.

O antigo ministro das Finanças vincou que, do ponto de vista da política monetária, existe a disponibilidade a nível europeu de criar novos instrumentos que introduzam disciplina no mercado, “quando os diferenciais da dívida estarão para além dos fundamentos económicos”.

Na semana passada, o Banco Central Europeu (BCE) anunciou que vai criar um instrumento “anti-fragmentação” nos mercados de dívida, depois de países como Itália e Espanha verem os prémios de risco dispararem nos últimos dias, comparativamente à Alemanha. “Se for bem desenhado, [este instrumento] nunca vai ser utilizado”, apontou Mário Centeno, explicando que “só a mera existência” da ferramenta vai prevenir certos comportamentos dos investidores.

A economia pode desacelerar e as taxas de juro vão subir, mas diz que “não estamos numa situação em que devemos entrar num semi-pânico”.

Centeno reitera a confiança de que “na área do euro temos hoje um conjunto de instituições muito mais fortes do que havia nas crises anteriores”. A Comissão Europeia passou a emitir dívida mutualizada – “um fator que não existia e é muitas vezes esquecido” – e o BCE tem à disposição “um conjunto de instrumentos mais vasto”.

No entanto, o governador do Banco de Portugal sublinhou que há erros que não podem ser repetidos, como o “velho argumento” de incluir um “caráter penalizador” nas medidas, que considerou ser “uma tentação muito grande que existe na Europa”.

Durante a conferência, Mário Centeno foi confrontado com a proposta de aumento de 20% dos salários até ao fim da legislatura e deu uma reposta com base no passado. “Num contexto de inflação baixíssima, 4% em seis anos os salários aumentaram 22%”, responde dirigindo o olhar a António Costa na primeira fila.

O antigo ministro das Finanças desaconselha aumentos salariais no setor público em linha com a inflação, caso estas criem pressões inflacionistas, mas apela a um acordo de médio prazo sobre os salários e a produtividade. “Acho que faz sentido que essa discussão seja tida a um nível coordenado em quem que todos os agentes económicos e sociais estejam presentes.”

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • EU
    20 jun, 2022 PORTUGAL 16:50
    Desaconselha aumento dos salários, principalmente na administração pública. E aquela companhia aérea que dizem ser portuguêsa e que há bem pouco tempo o estado português injectou TRÊS MIL MILHÕES de €, não está nesta malha? Isto porque segundo consta o salário mínimo LÁ vai para os 1400€. Se assim for, os PÚBLICOS serão duplamente penalizados, pois não serão aumentados, mas são pagantes para essa companhia aérea que não é PÚBLICA. Vamos lá entender certas coisas ! ! !
  • Cidadao
    20 jun, 2022 Lisboa 14:12
    Desaconselha um aumento salarial, mas apela a um "acordo" de médio prazo... E que "acordo" seria esse? Congelar salários ad eternum, ou um novo corte salarial para aí de uns 30%? Estes tipos com várias capelinhas que vivem numa redoma e ignoram o que são dificuldades...

Destaques V+